quinta-feira, 12 de maio de 2016

Caminhonetes e carro de luxo foram apreendidos em Operação da PF em Jaguaquara

Veículos foram apreendidos durante operação na Bahia (Foto: Alan Tiago Alves/G1)
Carros de luxo foram apreendidos durante a operação Velho Mundo, da Polícia Federal, que prendeu em flagrante um empresário de 29 anos e outras cinco pessoas com mais de uma tonelada de maconha e cocaína em uma fazenda de Jaguaquara, cidade no sudoeste da Bahia. Os detalhes da operação foram apresentados pelo órgão, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (12). O empresário preso é casado com a cantora Viviane Tripodi, com quem tem dois filhos. A PF não informou de quem pertencem os carros apreendidos: uma BMW, uma Hilux, uma SW4 e um Ford Ranger.
Quadrilha foi presa em uma fazenda no município de Jaguaquara (Foto:Divulgação)
Ainda conforme a PF, o empresário é conhecido em toda a Bahia pela atuação no tráfico de drogas e, assim como outros integrantes do grupo, já havia sido preso por conta do mesmo crime.Segundo a PF, a fazenda, chamada de Tripolândia, era utilizada pela quadrilha para estocar drogas antes dos entorpecentes serem distribuídos a compradores de cidades baianas e diversos estados do país. Somente na fazenda, foram encontrados cerca de 800 kg de maconha em tabletes prontos para a venda.
Van disfarçada de ambulância transportou 400 kg de maconha (Foto:Divulgação)
Drogas também foram localizadas em uma van plotada como ambulância de resgate do Corpo de Bombeiros (400 quilos de maconha) e em um galpão utilizado pela organização criminosa (69 quilos de cocaína), situado no bairro de Itinga, em Lauro de Freitas, na região metropolitana de Salvador. A van 'disfarçada' de ambulância tinha fundo e teto falsos, onde estava a droga, e saiu da cidade de Porto Seguro com destino à Jaguaquara, quando foi flagrada.O delegado informou que a polícia chegou até os suspeitos após interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça. "Também foram utilizados métodos de vigilância especiais e entrega controlada, que é quando se acompanha o trânsito de certa quantidade de entorpecentes para responsabilizar pessoas. A investigação se originou em Porto Seguro", disse. *Publicação do G1/BA

0 comentários:

Postar um comentário