terça-feira, 17 de maio de 2016

Ministro da Saúde recua e diz não ser preciso rever o tamanho do SUS

O ministro da Saúde do governo Temer, Ricardo Barros (PP-PR)
Após afirmar que o Estado não tem como assumir todas as garantias previstas na Constituição, incluindo o acesso universal à saúde, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse nesta terça (17) que o SUS (Sistema Único de Saúde) "está estabelecido" e que não deve rever o tamanho do sistema. Em um sinal de recuo, Barros disse que é preciso rever os gastos com a Previdência, assim como ocorreu em outros países, mas não o acesso à saúde. "O SUS está estabelecido, estamos atendendo o máximo de pessoas possíveis, com o maior número de precedimentos que podemos autorizar e remédios, mas evidentemente que isso é insuficiente para a proposta constitucional do SUS que é saúde universal para todos. Para que possamos ampliar o SUS, teremos que repactuar a divisão de recursos que existe entre as diversas áreas do governo", afirmou à Folha, nesta terça, após participar de reunião com especialistas e gestores de saúde em Brasília.

0 comentários:

Postar um comentário