quinta-feira, 30 de junho de 2016

Seca na região já matou mais de 30 mil animais em seis meses

Cerca de 30 mil animais morreram na região de Itapetinga. (Foto: Reprodução/TV Bahia)
A estiagem prolongada que atinge há 10 meses a região de Itapetinga, no sudoeste da Bahia, tem provocado a morte de milhares de bovinos, gerado impacto na produção de leite e resultado em demissões. O município é uma das 149 cidades que estão em situação de emergência por causa da seca do estado, considerada a pior dos últimos 30 anos. Fazendas da região viraram verdadeiros 'cemitérios' de bovinos. O gado morre devido à falta de comida, já que, com a estiagem prolongada, o capim não resiste e a pastagem seca. A situação é tão grave que, de janeiro até junho desse ano, 30 mil animais morreram na região. Com isso, Itapetinga caiu da segunda para a quarta posição entre as cidades da Bahia com os maiores rebanhos de bovino. Os criadores afirmam que, agora, o principal desafio é salvar os animais que ainda resistem. "A gente dá duro todo os dias, de sol a sol para alimentar esse rebanho e o rebanho vai só definhando, morrendo, e a gente não pode fazer nada, a não ser esperar a misericórdia de Deus", destaca o pecuarista Aete Cardoso, que diz já ter perdido 100 cabeças de gado. A chuva fina que caiu nos últimos dias na região não foi o suficiente para amenizar a situação e, além disso, a previsão é de mais estiagem nos próximos três meses. A produção de leite na cidade também foi afetada. Antônio Rodrigues, presidente de uma cooperativa de leite da região, afirma que a captação caiu 60%, o que forçou a demissão de seis funcionários nos últimos meses. "Se persistir [a estiagem], vamos continuar enxugando [o quadro de funcionários]. Ou a gente demite, ou teremos que fechar a fábrica", destacou. *Reportagem da TV Bahia

0 comentários:

Postar um comentário