quarta-feira, 13 de julho de 2016

Deficiência no Matadouro de Ipiaú obriga usuários a buscar serviços em Jequié

Fornecedores e a empresa que administra o Matadouro se reuniram na última segunda. (Foto:Giro em Ipiaú)
O Matadouro Municipal de Ipiaú corre risco de sofrer penalidades em decorrência de uma série de irregularidades que até então não foram sanadas pela empresa que explora a seu funcionamento. Os problemas se estendem desde a ausência de câmara de resfriamento da carne, passando pela utilização de água sem o devido tratamento, até currais em condições precárias, dentre outras deficiências que colocam a unidade na mira dos órgãos fiscalizadores. A situação já provocou um êxodo de grande parte dos usuários da unidade para o Frigorífico Vale do Sol no município de Jequié que oferece melhores condições de atendimento e higiene, além do Serviço de Inspeção Federal (SIF). Este serviço avalia a qualidade na produção de alimentos de origem animal para o consumo, no caso, uma carne limpa e devidamente refrigerada, conforme recomenda a Portaria 304 do Ministério da Agricultura. Os usuários argumentam que a transferência para Jequié visa o bem estar da população consumidora e se estenderá até que o Matadouro de Ipiaú esteja devidamente adequado às exigências da portaria ministerial.
Matadouro ainda possui muitas irregularidades. (Foto:Giro em Ipiaú)
A empresa Frinovo tem prazo determinado para efetivar a adequação que desafiou o próprio poder público municipal no decorrer de duas últimas décadas. Quando assumiu a administração da unidade, a empresa herdou uma multa de mais de R$ 200 mil que vem sendo quitada gradativamente. Seu proprietário, Paulo Fernandes, informa que o investimento maior, ou seja, as instalações elétricas (transformadores e etc...) já foi efetivado e que não demora muito a instalação das câmaras frias, fundamentais para reduzirem as contaminações de microrganismos que interferem na qualidade da carne. À empresa também compete instalar uma estação de tratamento da água utilizada, cuja captação, até então, se dá de forma bruta o que implica na possibilidade de contaminação por coliformes fecais. Outro encargo da Frinovo é evitar o lançamento de dejetos no meio ambiente. Além desses procedimentos a empresa precisa cumprir um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) determinado pela Procuradoria Federal que exige a instalação de banheiros e vestiários. No elenco das exigências ainda consta a reforma dos currais, conforme determina o contrato  de comodato com o município. 
Reunião entre fornecedores e a Frinovo aconteceu no Centro de Abastecimento. (Foto:Giro em Ipiaú)
Para agravar a situação deficitária do Matadouro o tratamento das vísceras bovinas ocorre de  forma primitiva, fato que atrai a presença de urubus e outros animais. Ali ainda verifica-se características de abate clandestino. Enquanto o proprietário da Frinovo se esforça para concluir os procedimentos de adequação da unidade às exigências da Portaria 304, os antigos  usuários asseguram que continuarão utilizando os serviços do Frigorífico Vale do Sol que garante aos açougues desta cidade uma carne com qualidade superior, isto é, limpa e  devidamente refrigerada. Em reunião realizada na segunda-feira (11) no Centro de Abastecimento José Motta Fernandes, as duas partes discutiram o problema e buscaram meio de solucionar o problema. Entretanto, nenhum avanço foi obtido nesse sentido. (Giro/José Américo Castro).

0 comentários:

Postar um comentário