quarta-feira, 13 de julho de 2016

Ipiaú: Estudantes da rede estadual interditam BR-330 e fazem reivindicações

Rodovia foi interditada por alunos da rede estadual. (Foto:Giro em Ipiaú)
Estudantes da rede estadual em Ipiaú e Barra do Rocha interditaram na manhã dessa quarta-feira (13) a BR-330. O protesto aconteceu em frente ao Centro Técnico Profissional do Médio Rio das Contas, as margens da rodovia que liga os municípios de Ipiaú e Barra do Rocha. A pista foi bloqueada nos dois sentidos, por volta das 08h, com galhos de árvores, pneus, tonéis e pedras. Em seguida os alunos incendiaram os materiais. Apenas ambulâncias e médicos apresentando credenciais estavam sendo liberados. Muitos condutores usaram a estrada que liga o distrito do Japomerim, município de Itagibá, até a ponte em frente à Mirabela Mineração.
Polícia Militar esteve no local do protesto. (Foto:Giro em Ipiaú)
De acordo com um dos lideres da manifestação, o aluno Fernando Sanches, o movimento visa chamar a atenção do governo do estado e protestar contra a falta de transporte escolar e da decisão de demitir todos os vigilantes da rede estadual nos municípios com menos de 100 mil habitantes. “Nossas escolas estão sem segurança alguma. Além disso, os terceirizados do setor administrativo foram demitidos e outros estão sem receber há três meses”, disse o estudante do curso técnico de farmácia. Nossa reportagem não conseguiu manter contato com a secretaria de educação do estado para comentar as reivindicações.
Rodovia foi bloqueado nos dois sentidos. (Foto:Giro em Ipiaú)
A rodovia foi liberada após a chegada da PRF, por volta das 10h. O protesto foi realizado com a participação de alunos do Cetep, Colégio Celestina, Colégio Estadual de Ipiaú (CEI), Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães e o CEAMB  de Barra do Rocha. Essa foi a terceira vez este ano que a rodovia federal é interditada por estudantes que reivindicam melhorias nas unidades de ensino da rede estadual em Ipiaú. (Giro em Ipiaú)

2 comentários:

Secretaria da Educação disse...


Nota de Esclarecimento

Em relação ao funcionamento das escolas estaduais, as Secretarias Estaduais da Educação (SEC) e da Administração do Estado da Bahia (SAEB) esclarecem que:

- Em reunião realizada na última quinta-feira (07), foi discutida, entre o Ministério Público do Trabalho (MPT), a SEC e a SAEB, a garantia do pagamentos dos prestadores de serviço da Educação, cujas empresas tiveram o contrato encerrado no último dia 30 de junho. Também está acontecendo uma série de reuniões de mediação com estas empresas para buscar liberação direta de recursos para o pagamento de salários e benefícios em atraso.

- Para garantir o funcionamento das escolas, a Secretaria da Educação orientou que as direções das escolas mantivessem os atuais prestadores de serviço trabalhando, enquanto as empresas vencedoras da licitação regularizam a contratação dos prestadores de serviço.

- Os contratos com as empresas que prestavam estes serviços chegaram ao fim em 30/06/2016 e não estavam em conformidade com a Lei Anticalote. Com os novos contratos, regidos pela Lei Anticalote, os direitos trabalhistas e indenizatórios dos funcionários estão garantidos, para não acontecer o que ocorreu no passado.

Assessoria de Comunicação
Secretaria da Educação do Estado da Bahia

Moreninha gomes disse...

Pq não ligaram pro secretário da educação ou pro governo responsáveis aos senhores diretores dos colégios ???

Postar um comentário