terça-feira, 5 de julho de 2016

Taxista nega ter agredido cantora em Salvador; “Ela prove que fui eu que fiz isso”

Antônio Ricardo, de marrom, nega agressões | Foto: Reprodução / TV Aratu.
O taxista Antônio Ricardo Rodrigues Luz, acusado de ter agredido a cantora Aiace Félix na saída de uma casa de shows no Rio Vermelho, na madrugada do último domingo (3), negou a versão da vocalista da banda “Sertanília”. “Ela prove que fui eu que fiz isso”, disse ele, em entrevista à TV Aratu, sobre a acusação de ter dado socos no rosto da cantora. “Eu apenas estava me defendendo, não agredi ela em momento algum. Ela, na verdade, me agrediu jogando um copo de cerveja no meu rosto e molhou o carro. Eu tenho fotos do carro molhado e tenho fotos de meu corpo molhado com a cerveja”, argumentou Antônio Ricardo. “Não dei ré em momento algum. Dei ré pra sair do estacionamento”, completou, para negar também a tentativa de atropelar Aiace, sua irmã e uma amiga. O advogado do acusado afirma que “não existe laudo pericial comprovando ainda essa agressão” e que a versão de seu cliente é que “há uma corrente próximo ao local e ela, ao pular essa corrente, ela acabou se machucando. Isso vai ficar comprovado através do laudo pericial”. A versão do acusado não enquadra com as investigações preliminares da polícia. “A gente está conseguindo no local, imagens, e a gente está só esperando esse material chegar para confirmar. Mas as ouvidas [testemunhas] são muito contundentes. Ele teria dado ré de forma violenta, quase atinge [Aiace]. Se não fosse o rapaz que esticou ela, o carro passaria por cima. Daí continua a sessão de espancamento porque ele é muito forte", disse Antônio Fernando, delegado que investiga o caso. Após audiência de custódia realizada nesta terça-feira (5), Antônio Ricardo teve a prisão em flagrante convertida em prisão preventiva e foi encaminhado para o presídio. *Bahia Notícias

0 comentários:

Postar um comentário