quinta-feira, 14 de julho de 2016

Volume de cacau entregue por produtores da Bahia é o menor em 42 anos

Foto:Reprodução
A seca histórica pela qual passou a Bahia no último ano continua se refletindo na oferta de cacau do Estado. Desde o início da safra 2016/17, em abril, o volume de cacau que os produtores baianos entregaram às indústrias foi o menor em 42 safras, desde a temporada 1973/74. No acumulado desta safra até domingo, o volume entregue pelos produtores somou 290,7 mil sacas, ou 17,4 milhões de toneladas, o equivalente a apenas um terço da quantidade que havia sido entregue no mesmo período da safra anterior (51,5 milhões de toneladas), conforme levantamento feito pela TH Consultoria. No ciclo 2014/15, quando também houve problemas na produção, os produtores já haviam entregado às indústrias até essa altura da safra 37,2 milhões de toneladas. O levantamento da TH Consultoria começou a ser feito em 2002/03. Segundo Thomas Hartmann, diretor da consultoria, esse ritmo indica que a safra temporã (de abril a setembro) de cacau na Bahia deve ficar abaixo do limite inferior da previsão original, que era de 700 mil sacas a 800 mil sacas (42 milhões de toneladas a 48 milhões de toneladas). “Várias fontes duvidam se conseguirá sequer chegar a 600 mil sacos”, ou 36 mihões de toneladas, informou o analista, em relatório semanal. A oferta também anda fraca em outros Estados produtores. No acumulado da safra 2016/17, o volume entregue por localidades de fora da Bahia alcançou 85,9 mil, ou 5,1 milhões de toneladas, contra 22 milhões de toneladas no mesmo intervalo de tempo da safra passada. Porém, a expectativa é que a oferta do Pará comece a se recuperar, segundo Hartmann. *Informaçõs do Valor

0 comentários:

Postar um comentário