sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Bahia perde mais de 7 mil empregos com carteira em julho

Setor industrial abriu 1.163 vagas formais e foi o destaque do mês na Bahia (Foto:A Tarde)
O mercado de trabalho do país iniciou o segundo semestre do ano do mesmo jeito que terminou o primeiro: cortando vagas com carteira assinada. Na Bahia, foram eliminados em julho 7.285 empregos formais. O resultado expressa a diferença entre o total de 45.979 admissões e 53.264 desligamentos. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira, 25, pelo Ministério do Trabalho. De acordo com o levantamento, o setor de serviços liderou as demissões, com o fechamento de 4.603 vagas. Em seguida aparecem a construção civil (-1.832) e o comércio (-1.522). A boa notícia do mês veio da indústria de transformação, que abriu 1.163 novas vagas. Salvador  foi o município baiano com o pior saldo de empregos em julho: -3.227 postos. Em seguida aparecem Lauro de Freitas (-2.353) e Feira (-870 postos). Em contrapartida, Juazeiro (733), Barra do Choça (636) e Casa Nova (460) se destacaram na criação de novas oportunidades de trabalho. Na região Nordeste, sete estados apresentaram saldos negativos. O estado com o menor saldo foi a Bahia (-7.285), seguida por Ceará (-4.677), Pernambuco (-4.043), Alagoas (-1.548), Sergipe (-1.495), Piauí (-629) e Paraíba (-97). Maranhão (214 postos) e Rio Grande do Norte (2) criaram posições de trabalho com carteira. *A Tarde

0 comentários:

Postar um comentário