quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Em nota, Deraldino se diz "surpreso" e comenta decisão de Banda Roxa

Deraldino rebateu os motivos informados por Banda Roxa para a sua desistência.
O prefeito Deraldino Araújo, em nota enviada à redação do GIRO, comentou a decisão da retirada da candidatura de Banda Roxa, candidato apoiado por ele nessas eleições. Na nota, o prefeito disse que tomou como “surpresa” o motivo da retirada da candidatura de Banda Roxa.  Confira a nota na íntegra:

"Povo de Ipiaú, candidatos a vereador, correligionários  e simpatizantes.

Confesso que recebi com grande e infeliz surpresa  as notas  públicas divulgadas pelos senhores Alípio Alves Jr e Miguel Tanure o popular Banda Roxa, nas quais alegam que a retirada da candidatura a prefeito deste último, deveu-se ao alto índice de rejeição da atual administração pública municipal, conforme números de suposta pesquisa, a qual em nenhum momento foi  registrada ou publicada.

Na condição de prefeito eleito e reeleito com a maior votação da história política de Ipiaú, cumpre-me o dever de fazer alguns esclarecimentos à população, quanto ao que foi divulgado pelas citadas notas.

Durante todo esse período de campanha ao lado de Banda Roxa, sempre foi notória a manifestação popular positiva quando o apresentava como meu candidato, seja nas caminhadas, nas visitas e mais ainda na concentração da passeata realizada nas praça do Cruzeiro, quando a multidão nos aplaudiu com fervor.

Em cada uma das centenas de casas que entramos, sempre fiz questão de dizer: ”Este é meu candidato, é filho de Ipiaú, homem de bem, honesto, trabalhador, e tenho certeza de que ele vai fazer o que eu não consegui realizar “.

Diante da suposta rejeição apontada pelas notas e atribuídas ao meu governo, julgo oportunas algumas indagações:  

Quem poderia rejeitar o apoio de um prefeito que mais realizou obras na história do município? 

Como pode ser prejudicial para uma campanha o apoio de um prefeito que paga o salário do funcionalismo rigorosamente em dia?

Como pode um governo prejudicar uma campanha por estar em dia com os credores, com o Cadastro Único de Convênios, imprescindível para que a gestão consiga benefícios de qualquer natureza, e que também paga rigorosamente em dia o Piso Nacional dos professores, além de sancionar o Plano de Cargos e Salários  e o Estatuto do Magistério?

Como pode ser prejudicial para uma campanha uma gestão que tornou realidade a implantação do SAMU, quando o governo anterior afirmava que o mesmo só seria possível para cidades com mais de 100 mil habitantes?

Como poderia influenciar negativamente uma campanha uma gestão que implantou um governo de paz, respeito e compromisso?

Quanto ao candidato Banda Roxa, vale também alguns questionamentos:

Se a suposta e gigantesca rejeição da minha gestão realmente existia, porque o candidato aceitou a candidatura e partiu pra campanha do meu lado, jamais saindo às ruas de Ipiaú sem a nossa presença?

Porque foi contratada, pelo amigo que tanto o apoia, uma empresa de marketing, a peso de ouro, para melhorar a imagem do candidato, não conseguindo obter êxito?

A pesquisa que apontou uma suposta rejeição do meu governo foi a mesma que apontou a rejeição do candidato, sendo assim, porque quem o orienta não o alertou e o convenceu a não se candidatar?

Será que o candidato, que é vice-prefeito e já ocupou uma secretaria, esquece que ele também é governo?


Acredito que o momento não é o de atribuir a quem quer que seja o insucesso da candidatura. Não é este o momento de crucificar quem quer que seja, imputar a ninguém o fato de a candidatura não seguir adiante, e sim a um conjunto de fatores.

Não é educado e justo tratar com desrespeito e chacota, quem ainda ontem caminhava lado a lado, compartilhando momentos de alegria junto ao nosso povo.

Confesso que tais notas publicadas não são, nem de longe, motivos suficientes para abalar a minha dignidade, o meu caráter e o meu compromisso de continuar lutando pelo bem de Ipiaú. 

A desistência da candidatura de Banda Roxa é um lamentável fato político que pegou a todos nós de surpresa, e que certamente causou um profundo mal estar em quem foi às ruas gritar pelo 15, por Banda e por Dera.

Por se tratar de um momento delicado, solicito que todos aguardem novas orientações, e que ajam com serenidade, responsabilidade equilíbrio, até porque, o que está em jogo é o destino de nossa querida Ipiaú nos próximos 4 anos.

Solicito ainda que todos mantenham acesa a chama da luta apor uma Ipiaú cada vez melhor, pois, o desenvolvimento que nós alcançamos nestes últimos anos, nos impede de retroceder e dar lugar a quem por aqui passou e não deixou nenhuma boa lembrança.

Um forte abraço",

 DERALDINO ALVES DE ARAÚJO

0 comentários:

Postar um comentário