quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Com bronze, Isaquias ganha sua 2ª medalha e faz história

Isaquias agora vai em busca da terceira medalha. (Foto: Agência Reuters)
Isaquias Queiroz já estava eternizado na história da canoagem velocidade ao, conquistar na terça-feira, uma prata no C1 1000m, primeira medalha brasileira nessa modalidade em Jogos Olímpicos. Mas ele sabia que podia mais. Nesta quinta, ele pode bater com força no peito e dizer que, aos 22 anos, já tem mais uma para sua coleção.

Nessa categoria, diferentemente da primeira da qual participou na Olimpíada do Rio 2016, a tensão tomou conta de quem esteve no Estádio da Lagoa Rodrigo de Freitas. Depois de uma largada ruim, o atleta baiano chegou a figurar na última posição, mas conseguiu se recuperar à base da resistência. Não bastasse isso, ele ainda foi parar dentro d'água no finzinho, depois de projetar o corpo para trás para ganhar o máximo de tempo na chegada. O suspense pairou no ar para saber se a queda aconteceu antes ou após a linha de chegada. Isaquias demorou a aparecer na superfície. Os olhares da torcida se fixaram no telão. O resultado demorou a sair, deixando o público com o grito preso na garganta. Mas a confirmação do bronze na decisão do C1 200m deixou os presentes em êxtase.

Depois do drama, a festa. Isaquias subiu ao pódio sambando. Na saída, improvisou uma "volta olímpica", correndo e batendo nas mãos dos torcedores. O desejo inicial era o ouro, mas a comemoração do bronze foi do tamanho que o feito merece. Ele agora está no seleto grupo de apenas cinco brasileiros com duas medalhas na mesma edição de Jogos Olímpicos.

Com o feito desta quinta-feira, Isaquias Queiroz entrou para um grupo com outros quatro nomes de peso. César Cielo, nadador, levou ouro (50m livre e bronze (200m livre) em Pequim 2008. Gustavo Borges, também da natação, foi prata (200m livre) e bronze (100m livre) em Atlanta 1996; Guilherme Paraense (ouro e bronze) e Afrânio da Costa (prata e bronze), ambos atletas de tiro esportivo, foram ao pódio em dose dupla na Antuérpia 1920. *Globo Esporte

0 comentários:

Postar um comentário