quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Dário Meira: Mulher dada como morta pela família ainda está viva

Hospital informou que paciente teve morte cerebral, mas que o coração ainda está a pulsar
O caso de Neuraci Barbosa Teixeira, 29, vítima de espancamento em Dário Meira, no último domingo (28), teve uma reviravolta. Após os familiares comunicarem o seu falecimento, prepararem o velório e cavarem a sepultura, a informação que ela ainda estava viva trouxe um fio de esperança para os parentes e amigos. Na noite de quarta-feira (31), o primo dela, identificado como “Edenilson” informou ao GIRO, o fato ocorrido com a jovem e comunicou o falecimento dela. No entanto, nesta quinta-feira, o mal entendido foi esclarecido e os familiares e amigos foram informados que o coração de Neuraci ainda estava funcionando.  A reportagem do GIRO manteve contato com a Assistência Social do Hospital Prado Valadares, em Jequié, onde a paciente está internada numa Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). 

De acordo com as informações da unidade hospitalar, a médica explicou à mãe da paciente na quarta-feira que ela tinha sofrido morte cerebral, mas que o coração ainda continuava batendo e que o óbito só seria constatado, caso o órgão parasse de funcionar. “A explicação foi repassada para a mãe da paciente e para mais dois familiares, inclusive um irmão dela. Não entendemos porque houve essa confusão no caso. Estranhamos quando, ainda na quarta-feira, um carro da funerária veio buscar o corpo”, contou uma funcionária do hospital ao GIRO.  Nossa redação ainda conseguiu contato com um vizinho da mãe de Neuraci. Segundo ele informou, a família preparou o velório e chegou a cavar a sepultura onde o corpo seria sepultado. A reportagem do GIRO não obteve contato com os familiares. Por ora, Neuraci continua internada na UTI, diagnosticada com morte cerebral.

O caso
Neuraci foi encontrada no último domingo (28) com sinais de espancamento dentro de sua residência na Rua Maria Augusta, bairro Nova Cajazeira. A vítima foi socorrida até o hospital local e transferida para o Hospital Prado Valadares, em Jequié, onde está internada em coma. Ainda de acordo com informações da família, o ex-companheiro de Neuraci é o principal suspeito de ter cometido o crime. A mulher teria sido agredida após chegar de uma festa realizada no distrito de Ibitupã. Após agredir a ex-esposa, o suspeito teria levado o filho na casa da sogra e fugido. A polícia segue com as investigações. (Giro em Ipiaú)

0 comentários:

Postar um comentário