quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Reforma da Previdência deve ficar para depois das eleições municipais

O governo Michel Temer voltou a indicar que deve deixar o envio da proposta da reforma da Previdência para depois do primeiro turno das eleições municipais. O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, voltou a defender ontem a importância de o texto ser debatido com representantes dos trabalhadores e empregadores antes de mandar o texto para o Congresso. “Acho que tudo o que for feito para facilitar a tramitação é bem-vindo”, disse. Geddel se reuniu com o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, que saiu dizendo que o ministro vai fazer o “impossível” para convencer Temer da necessidade de adiar o envio da proposta aos parlamentares para que seja debatida com as centrais sindicais. “O presidente prometeu que faria uma rodada de conversas com as centrais. Espero que cumpra a promessa”, afirmou. Ontem, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o do Planejamento, Dyogo Oliveira, se reuniram com técnicos das duas Pastas e da Fazenda para fechar os detalhes da proposta.

1 comentários:

luiz carlos carlos disse...

e ai, coxinhas só depois dos 70(setentinha) já na hora da morte.... fora treme o Brasil.. golpistas...

Postar um comentário