quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Eduardo Cunha ameaça Temer com delação

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
O ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, não tem outra alternativa senão partir para a delação premiada e denunciar tudo o que sabe sobre os acontecimentos que vivenciou durante o período em que tomou conhecimento do que ocorria envolvendo a corrupção na república. Enquanto isso, não terá outra saída senão ocupar seu tempo dentro das grades debruçando-se a escrever seu livro que pretende lançar nas livrarias no mês de dezembro, mas agora somente através dele próprio e não mais com o grupo que o ajudava a escrevê-lo. Como considera – é o que se informa - que o presidente Michel Temer o deixou-o ao largo e à margem, é muitíssimo provável que ele exponha o presidente abrindo o jogo do que sabe, e que, por certo, não será pouca coisa. Daí as notícias de que o Palácio do Planalto passa a estar em polvorosa por não ter ainda conhecimento de tudo o que ele na verdade sabe. Cunha é um político ladino. Como poucos na república, fez e aconteceu no período em que comandou a Câmara dos Deputados, sempre cercado por um grupo que o tinha como chefe maior e que, depois da sua queda, se dispersou.  De tal maneira que o deixou sozinho, amargando 450 votos contra apenas 10, dos últimos aliados que permaneceram com ele até o fim. Portanto, com essa canalhada dispersa provavelmente não terá razão para poupá-la e poderá abrir o bico em denúncias sequenciadas. Pelo que se sabe, a sua preocupação está voltada, exclusivamente, para sua família, mulher, filhas e filho. Por se tratar de um personagem incontrolável, o Planalto está esperando tudo o que poderá vir do deputado cassado, deixando o governo de Temer a tremer. Como provavelmente a sua prisão será longa, o que ele disser na sua delação aguardada estremecerá o governo. São muitos os nomes que serão denunciados.

0 comentários:

Postar um comentário