quarta-feira, 26 de outubro de 2016

EXPOCAPI mostrou trabalhos desenvolvidos por alunos especiais durante o ano

Exposição foi realizada na Praça Rui Barbosa (Foto:Giro Ipiaú).
A segunda edição da Exposição do Centro de Apoio Pedagógico de Ipiaú (CAPI) foi realizada na tarde dessa quarta-feira (26) na Praça Rui Barbosa, centro da cidade. O objetivo da exposição de cunho pedagógico é a integração entre alunos, familiares, professores e comunidade em geral e apresentar as atividades do ano letivo desenvolvidas pelos alunos com necessidades educacionais especiais nas áreas da deficiência visual, intelectual e surdez. Esse ano a EXPOCAPI desenvolveu suas atividades a partir do tema “Leitura: explorando possibilidades”. 
Tema desse ano foi "Leitura: explorando possibilidades" (Foto:Giro Ipiaú).
Para os organizadores, o tema oportunizou a interação entre os sujeitos envolvidos e a comunidade, valorizando os processos de construção dos indivíduos, considerando-se suas limitações e potencialidades. “Nesse evento, os alunos apresentam a história do livro, o surgimento do livro impresso, recursos tecnológicos, áudio livro, a história da educação dos surdos, literatura surda, releitura de livros lidos por nossos alunos e o livro interativo. Todo esse trabalho que está sendo apresentado aqui é fruto das atividades desenvolvidas durante o ano”, comentou a coordenadora Cássia Tannus à reportagem do GIRO.
Alunos fizeram apresentações sobre a leitura (Foto:Giro Ipiaú).
A EXPOCAPI também recebe elogios dos pais dos estudantes especiais. “Esse é um dos momentos que eles mais aguardam durante o ano. Tenho um filho com deficiência auditiva e quando está chegando o dia da exposição ele fica muito ansioso para apresentar os seus trabalhos à comunidade. O pessoal do CAPI está de parabéns pelos serviços prestados. Essa exposição é muito importante pra eles (alunos)”, elogiou a mãe de um aluno. 
A polícia militar é dos parceiros da EXPOCAPI (Foto:Giro Ipiaú).
Um dos grandes parceiros do evento é a Polícia Militar, representada pelo Comandante da 55ª CIPM, Major Jorge Alexandre. Dele surgiu no ano passado a ideia para que os trabalhos dos alunos fossem expostos à comunidade. “Esse projeto não poderia ficar de forma alguma intramuros, tinha que ser apreciado por toda a comunidade. O nosso coração transborda de alegria ao ver esse trabalho desenvolvido pelos profissionais do CAPI”, disse o Major ao GIRO.
CAPI atende cerca de 280 pessoas com necessidades especiais (Foto:Giro Ipiaú).
O Centro de Apoio Pedagógico de Ipiaú, localizado na Avenida Getúlio Vargas, centro de Ipiaú, é uma instituição estadual, na modalidade de Atendimento Educacional (AEE), que desde 2008, oferece apoio pedagógico a alunos com algum tipo de deficiência (surdos, cegos, baixa visão, sequelas de paralisia cerebral, autismo e outras síndromes). Atualmente cerca de 280 pessoas de Ipiaú e cidades vizinhas são matriculadas no CAPI que funciona em dois períodos, matutino e vespertino.Veja mais fotos

0 comentários:

Postar um comentário