domingo, 20 de novembro de 2016

Ipiaú: Nome de Bogi é sugerido para 'batizar' pista de cooper

Pista de caminhada ainda não foi inaugurada, mas já vem sendo utilizada.
Antes que outro aventureiro lance mão, antes que seja concluída a atual legislatura, propomos que algum vereador ou todo o plenário da Câmara Municipal apresente, em regime de “urgência urgentíssima”, um Projeto de Lei que denomine de Genival Damaceno “BOGÍ” a pista de Cooper localizada nas imediações das Avenidas Tancredo Neves e Benedito Lessa, no vale do Rio Água Branca, centro da cidade de Ipiaú. Se já existir alguma lei denominando o citado equipamento público  “revogam-se as disposições em contrário”.   Bogí é merecedor dessa homenagem póstuma. Sua história de vida justifica a matéria. A comunidade aprovará por unanimidade. 
Genival Damaceno que era mais conhecido pelo apelido de “Bogí” foi um grande atleta. 
Proveniente de uma família humilde, autentico representante do chamado “povão”, Genival Damaceno que era mais conhecido pelo apelido de “Bogí” foi um grande atleta. Além de ser bom de bola, jogador de grandes clubes locais e da própria Seleção de Ipiaú, na qual também prestou relevantes serviços como preparador físico, também brilhou no atletismo, destacando-se nas corridas de longo curso, e de maneira especial nas maratonas. Muitas medalhas e troféus foram conquistados por ele. Inúmeras vezes subiu ao  podium  e honrou o nome desta cidade, sua terra natal. Obteve boas classificações em algumas edições da famosa Corrida de São Silvestre, em São Paulo, e sempre que era entrevistado pela grande imprensa fazia questão de ressaltar o nome de Ipiaú.

Como se não bastasse o destaque nos esportes, Bogí tinha um caráter ilibado, um coração bondoso, um amor imenso pelos seus conterrâneos e amigos. Ipiaú lhe deve muito. A sugerida homenagem deve ser feita por uma questão de justiça. A pista que pode receber o nome de Bogí,  mede 1.535,84 metros quadrados e vem sendo bem utilizada pelos adeptos do cooper, mas é apenas um detalhe de um mega projeto do ex-prefeito José Mendonça que não chegou a ser executado.

Na área  que margeia  o Rio Água Branca e se estende por 35 hectares seria instalado o Parque da Cidade. O projeto envolvia ciclovias, pistas de skate, seis campos de futebol, um extenso lago destinado à competições de canoagem e outras atividades náuticas, uma  concha acústica, quiosques, parque infantil, academia de musculação e um bosque. Seria um cartão postal de Ipiaú, uma grande vitrine para atrair visitantes e proporcionar muito mais lazer à população. 

O ex- prefeito dizia que recursos da ordem de R$ 10 milhões estavam sendo captados para a execução da obra que foi abortada pela atual gestão. Aproveitou-se apenas o espaço para a construção da pista de caminhadas, financiada com recursos no valor de R$ 420.321,13, oriundos do Ministério do Turismo. O que foi  feito ou o que se deixou de fazer é outra questão. O que importa agora é que o equipamento que vem cumprindo a função social que lhe foi destinada, receba o nome do cidadão Genival Damaceno, o popular BOGÍ esteve acima de tudo isso. Tornou-se um bom exemplo.(GIRO/José Américo Castro).

0 comentários:

Postar um comentário