segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Observador ipiauense ganha destaque na imprensa paulista após flagrar ave rara

Gravatazeiro flagrado em Boa Nova  (Foto: Allisson Cafeseiro)
O ipiauense (radicado em Ibirataia) Allisson Cafeseiro ganhou destaque em uma matéria publicada nessa segunda-feira (21) no G1-Campinas. A matéria abordou o registro do fotográfo durante expedição no município de Boa Nova, sudoeste baiano. Segue a matéria na integra:

- O baiano Allisson Cafeseiro, atualmente morando no estado de São Paulo, pode se considerar um observador de sorte. Nascido na cidade de Ipiaú e criado na vizinha Ibirataia, o analista de sistemas recorda as lembranças da infância, vivida em meio à natureza da fazenda do avô. Ao entrar na faculdade, mudou-se para Salvador e resolveu comprar uma câmera fotográfica para manter vivas as referências de casa. “Foi uma forma de matar a saudade e deixar gravado na memória as cenas que presenciava no mato”, explica. Logo, descobriu na capital baiana, por meio das redes sociais, grupos de observadores de aves e iniciou-se no caminho das expedições. “Trocamos conhecimento sobre espécies e fotografia quase que diariamente. Isso aumentou ainda mais o meu conhecimento e paixão pelas aves”, comemora.  
Cardeal-do-nordeste, tiê-sangue, campainha-azul e beija-flor-de-peito-azul (Foto:Allisson Cafeseiro)
Um de seus registros mais especiais, inclusive, ocorreu durante uma aventura em Boa Nova (BA), quando Allisson teve o privilégio de avistar o raríssimo gravatazeiro (Rhopornis ardesiacus). Endêmica do Brasil, a ave ocorre apenas em 17 cidades. Para preservá-la, foi criado, em 2010, o Parque Nacional de Boa Nova, com o apoio da Sociedade para Conservação de Aves do Brasil (SAVE Brasil).
Alisson nasceu em Ipiaú e se criou no município de Ibirataia (Foto:Reprodução).
A jornada do observador mostra, porém, que nem sempre é preciso sair de casa para ser presenteado com um flagrante da natureza. No playground de seu prédio, em Salvador, Allisson teve de ser ágil para garantir o registro do falcão-peregrino  (Falco peregrinus), ave mais rápida do mundo, cuja velocidade do voo pode atingir até 300 quilômetros por hora. Além dessas, o analista de sistemas conta com outras inúmeras espécies em seu acervo, como o beija-flor-de-peito-azul, cardeal-do-nordeste, tiê-sangue e campainha-azul. *Conteúdo G1/Campinas

0 comentários:

Postar um comentário