quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Pai mata filho por discordar da participação do jovem nas ocupações escolares

(Foto:Reprodução).
Um estudante de Matemática de 20 anos foi morto pelo pai na tarde desta terça-feira (15), em Goiânia, por ele discordar da participação do jovem em manifestações e movimentos sociais. Alexandre José da Silva Neto, de 60 anos, atirou em Guilherme Silva Neto, de 20 anos, e se matou em seguida com um disparo na própria boca. De acordo com o Estadão, o autor do crime discordava do comportamento do filho, das roupas que usava - coturnos, calça jeans com as barras para dentro, jaquetas jeans, colares, cabelo e barba grandes, e e da sua participação em atos contrários às medidas governamentais, como ocupações em colégios e prédios públicos. A mãe da vítima e esposa do autor do crime, Rosália de Moura Rosa Silva, disse à polícia que os dois tiveram um desentendimento durante a manhã de terça e por volta das 16h o pai teria saído para resolver uns problemas. Em seguida o filho saiu com seus pertences e disse à mãe que iria ver o movimento, mas não demoraria. De acordo com a polícia, o pai teria ficado aguardando o jovem sair de casa, telefonou para a esposa ao vê-lo saindo e perseguiu o estudante de carro. O disparo contra o próprio filho aconteceu na Rua 59 A, próximo ao local onde a família morava, na Rua 25 A.

1 comentários:

luiz carlos carlos disse...

o pai coxinha,matou seu filho porque ele foi fazer manifestação contra este governo usurpador e o pai era um apoiador do golpe,foi em Goiânia bem perto daqui de Brasíla 190 km,olha em que chegou este G O L PE....

Postar um comentário