domingo, 13 de novembro de 2016

Pastor é morto a facadas em Porto Seguro

Homem pode ter sido vítima de latrocínio (Foto: Reprodução/Facebook).
Um pastor foi morto a facadas no sábado (12) em Porto Seguro, no sul da Bahia. A suspeita é que Adimilson Freitas Santos, 44 anos, tenha sido vítima de um latrocínio – roubo seguido de morte. Ele desapareceu pela manhã, depois de sair de casa de carro, no distrito de Coroa Vermelha, para ir até uma feira no Campinho. Com a demora no retorno do pastor, a esposa acabou acionando a Polícia Militar. Segundo a PM, o pastor saiu de casa em um Fiat Línea preto às 5h. A esposa informou que ele sempre voltava para casa depois da feirinha. Estranhando a demora, por volta de 9h ela ligou para o celular dele e um desconhecido atendeu, informando que havia encontrado o celular no bairro do Baianão e que depois de sair do trabalho iria tentar devolver ao dono. Depois, ainda sem notícias do pastor, a mulher ligou outras vezes para o celular, mas ninguém atendeu. 

Por volta das 13h30, ela entrou em contato com o 8º Batalhão da Polícia Militar relatando o desaparecimento. Pouco depois, eles atenderam uma ocorrência de um corpo encontrado em uma casa na Travessa Casas Novas. No local, eles perceberam que se tratava do pastor. O corpo foi encontrado no local pelo pai do dono da casa, que foi até o local depois de ligar para o filho, que disse que estava com um “problema” e pediu que ele não fosse até lá. A polícia começou a suspeitar do morador da casa. Ele acabou sendo localizado horas depois em um táxi. Cercado, conseguiu sair do carro, tentou invadir um hotel e acabou conseguindo fugir, para ser capturado depois em um shopping no centro da cidade. O carro do pastor foi achado abandonado em um motel próximo às margens da BR-367. A suspeita é que ele tenha sido abordado quando saiu de casa e o roubado, mas detalhes do caso ainda são investigados pela Polícia Civil. Nas redes sociais, amigos e fiéis lamentaram a morte do pastor, que deixa um filho, além da esposa. *Correio da Bahia

0 comentários:

Postar um comentário