terça-feira, 29 de novembro de 2016

PF envia ao Supremo gravações feitas por Calero no caso do prédio de Geddel

Ex-ministro disse que sofreu pressão de colegas de governo (Foto:Folhapress).
A Polícia Federal enviou para o STF (Supremo Tribunal Federal) as gravações feitas por Marcelo Calero, ex-ministro da Cultura, no caso do prédio em Salvador que era de interesse do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Segundo a Folha apurou, a PF fez uma análise do material para saber se os registros eram audíveis e se sofreram alguma edição, e o encaminhou ao Supremo na manhã desta terça-feira (29). O material conta com gravações de conversas com autoridades em ligações telefônicas. Os registros foram feitos por Calero com um gravador digital, também entregue à PF. O ex-ministro da Cultura, em depoimento à PF no último dia 19, afirmou que sofreu pressão e foi "enquadrado" pelo presidente Michel Temer para resolver a situação do prédio embargado, que não estava boa para Geddel. Nesta segunda (28), a PGR (Procuradoria-Geral da República) requisitou oficialmente à PF o encaminhamento dos áudios, com o argumento de que teria de ter em mãos todos os elementos probatórios para decidir se pede ao STF a abertura de um inquérito sobre políticos com foro privilegiado. No material, há uma ligação protocolar de Calero com Temer e conversas com o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil). Gustavo Rocha, assessor jurídico da Presidência da República, também fez telefonemas para o ex-ministro da Cultura para dar orientações sobre o que fazer no caso. O STF deve encaminhar os áudios à PGR, a quem compete pedir à corte autorização para instaurar inquérito sobre autoridades com foro privilegiado –no caso, Padilha e Temer.

0 comentários:

Postar um comentário