sábado, 19 de novembro de 2016

Unicef quer levar teste da Bahiafarma a outros países

O teste rápido detecta a doença em qualquer fase (Foto:Divulgação).
Os testes rápidos para diagnóstico de infecção pelo zika vírus, desenvolvidos pela Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma), despertaram o interesse do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). O diretor-presidente do laboratório público baiano, Ronaldo Dias, reuniu-se, nesta sexta-feira, 18, com a direção do órgão internacional para discutir um plano de uso dos dispositivos no mundo, em Copenhague, na Dinamarca. O objetivo do encontro é viabilizar os testes, para que se torne possível monitorar localidades onde a doença oferece maior risco de surto em crianças. Cabo Verde, Guiné-Bissau, Malásia e Tailândia são exemplos de países onde há a especulação de uso da ferramenta. Conforme Dias, o teste é uma forma rápida e econômica de identificar a doença na maioria dos países atingidos e contempla a preocupação do Unicef em detectar, com antecedência, a enfermidade causada pelo vírus, que está relacionado ao surgimento de casos de microcefalia em fetos. 

0 comentários:

Postar um comentário