segunda-feira, 26 de junho de 2017

Para compensar a "sexta sem som", prefeitura de Jequié finaliza o São João nesta segunda

Festa aconteceu normalmente no sábado e no domingo, atraindo multidão à praça.
A Vila Junina na Praça Ruy Barbosa, foi utilizada como alternativa pela coordenação do São João 2017 de Jequié, para contornar os problemas provocados na grade de contratações, decorrência da pane com a sonorização da Praça da Bandeira, que não funcionou e levou à suspensão da primeira noite de apresentação das chamadas “grande atrações”, sexta-feira, 23. O sanfoneiro e intérprete Waldonys teve o seu show transferido para o palco da Vila Junina, o mesmo acontecendo como Nonô Curvello, enquanto Luiz Caldas, permaneceu no hotel sem ter como cumprir o seu contrato. Na noite de sábado, 24, foi instalado na Praça da Bandeira,  um novo equipamento de som para restabelecimento da festa. A Prefeitura informou pela sua assessoria de imprensa que a programação “sofreu algumas alterações na sua grade, ocasionadas por um problema técnico ocorrido no som contratado para animar a Praça da Bandeira, o que levou a Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Jequié a fazer as modificações”. Ainda de acordo com o informe oficial, “os artistas que se apresentariam na sexta-feira, 23, foram reagendados. As alterações na grade de programação da Praça da Bandeira se estenderam pelo sábado, 24. O palco denominado Zé Marcolino, em homenagem ao parceiro musical de Luiz Gonzaga começou a funcionar por volta da meia noite, com show de Zefa di Zeca, Banda Embalo 4 e, logo após, Calcinha Preta. O cantor e sanfoneiro Chambinho, que tocaria no sábado, foi reagendado para a segunda-feira, 26”. As pessoas que trabalham ou já trabalharam com shows e eventos sabem o quando é difícil contratar às vésperas, muito menos no decorrer da festa, um equipamento de sonorização de boa qualidade. A Prefeitura de Jequié, teve que se desdobrar para contar essa emergência. *Blog Jequié Repórter

0 comentários:

Postar um comentário