terça-feira, 25 de julho de 2017

Ilhéus: Vereador acusado de fraude milionária na prefeitura permanece preso

Pedido de liberdade da defesa do vereador Jamil Ocke foi negado pela justiça.
Oito suspeitos de participar do suposto esquema de desvio de R$ 25 milhões da prefeitura de Ilhéus, no sul da Bahia, investigados na Operação Citrus, foram ouvidos na última audiência de instrução do caso, que durou mais de 10 horas e terminou no fim da noite da última segunda-feira (24). É o último passo antes do julgamento do processo. A Operação Citrus, do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), apurou fraudes em licitações da prefeitura da cidade desde 2009. A suspeita é que foram desviados valores que deveriam ter sido empregados na compra de materiais para escritório e alimentos. Foram ouvidos na audiência os três acusados, que estão presos: o ex-secretário de desenvolvimento social e vereador mais votado da cidade, Jamil Ocke; o ex-funcionário da secretaria, Cássio Brandão; e o empresário apontado como dono das empresas que ganhavam as licitações superfaturadas, Enoch Andrade. Os advogados dos três acusados pediram revogação das prisões, mas a juíza negou o pedido de liberdade e eles voltaram para o Presídio Ariston Cardoso, no município. Outras cinco pessoas acusadas de participação no esquema, que aguardam em liberdade, também foram ouvidas na audiência. *Com informações do G1

0 comentários:

Postar um comentário