quarta-feira, 5 de julho de 2017

Mulheres recebem 23% menos do que os homens no Brasil

Apesar deste aumento, o número de empregados diminuiu.
A queda de 3,6% no número de pessoas ocupadas e assalariadas e a diferença de 23,6% na remuneração recebida pelas mulheres em relação à dos homens foram os pontos de destaques do Cadastro Central de Empresas (Cempre), divulgado hoje (5/7) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados são referentes ao ano de 2015 e fazem a comparação com os de 2014. A Cempre tem caráter anual e divulga informações consolidadas de dois anos anteriores. Segundo a pesquisa, em 2015 o Brasil ganhou aproximadamente 11,6 mil novas empresas e outras organizações ativas, um aumento de 0,2% em relação a 2014. Apesar deste aumento, o número de empregados diminuiu. Naquele ano, o país tinha 5,1 milhões de empresas e outras organizações ativas que empregavam 53,3 milhões de pessoas, sendo 46,6 milhões (87%) assalariados e 7 milhões (13%) sócias ou proprietárias. Do total de assalariados, 56% eram homens e 44% mulheres. Em relação a 2014, o número de assalariados recuou 3,6%, sendo a queda entre os homens de 4,5% e entre as mulheres de 2,4%. Em cinco anos, entre 2010 e 2015, o percentual de mulheres ocupadas assalariadas aumentou 1,9 ponto percentual. *Agência Brasil

0 comentários:

Postar um comentário