quinta-feira, 10 de agosto de 2017

"Foram mais de 150 ovos", diz produtor que participou de ato contra Doria em Salvador

Prefeito de São Paulo recebeu título de cidadão soterapolitano na última segunda-feira.
Uma das três pessoas apontadas pela Câmara de Vereadores de Salvador como suspeitas de ter atirado ovo no prefeito de São Paulo, João Doria, na última segunda-feira (7), relatou ter recebido ameaças de morte. O produtor cultural Eucimar Freitas, de 36 anos, prometeu denunciar o fato na Delegacia de Crimes Virtuais da Polícia Civil. "Estou indo na delegacia de crimes digitais levar. Só essa ameaça que fala em matar e dar tiro. As outras são mais agressão pessoal e moral", contou ao UOL. "Recebi diversas intimidações de pessoas dizendo que sou massa de manobra, que isso foi um ato de esquerdopatas, que era melhor ter usado o diálogo". Com a ajuda de amigos, Freitas disse que já sabe quem foi que o ameaçou através de redes sociais. O produtor cultural disse não acreditar que a pessoa será presa, mas espera que a denúncia já sirva como recado. "Algumas pessoas conhecem esse rapaz. Entraram em contato comigo dizendo que era um jovem abestalhado e não era pra eu levar em consideração. Vou prestar queixa para a polícia entrar em contato com ele e ele tomar um susto". Freitas admitiu que comprou dois ovos em uma mercearia de Salvador para atirar em Doria, mas não sabe dizer se foi o ovo que ele atirou que acertou o político do PSDB. Ele participou de uma manifestação que tinha o intuito de impedir que o prefeito de São Paulo entrasse na Câmara para receber a homenagem. "Foram mais de 150 ovos. Tinham mais de 200 pessoas no ato. Foi uma chuvarada de ovos. Se todos acertassem nele, ia morrer asfixiado”. Leia mais...

0 comentários:

Postar um comentário