sábado, 26 de agosto de 2017

Praça Raimundo Teixeira, um equipamento pouco utilizado pela população

Praça fica localizada no bairro da Conceição (Foto: José Américo Castro/GIRO)
Praças de Ipiaú - Visitar as praças da nossa cidade, saber como elas se encontram, seus estados de conservação, suas utilizações pela população, o histórico de cada uma, enfim, informar à comunidade do seu patrimônio de lazer e inclusão social, é a proposta da série de reportagens que o GIRO vem trazendo semanalmente. Já focamos as praças João Carlos Hohlenwerger, Virgílio Damásio, Salvador da Matta e Alberto Pinto. Agora chegou a vez da Praça Raimundo Teixeira, um logradouro de aspecto agradável, cheio de tranqüilidade, mas pouco utilizado. Localizada no Bairro da Conceição, a Praça Raimundo Teixeira tem este nome em homenagem a um antigo morador da área e honrado cidadão ipiauense. O equipamento envolve três canteiros gramados, cada um com quatro bancos e tem o seu sombreamento garantido por seis árvores frondosas, sendo a maioria de uma mesma espécie exótica. A construção  desta praça se deu durante a administração  do prefeito Miguel Cunha Coutinho, tendo sido inaugurada no mês de março de 1990. A realização da obra ficou a cargo da empresa PAVISA, então sob a responsabilidade do empreiteiro João Carioca.

Ao contrario de outras praças da cidade, a Raimundo Teixeira é pouco utilizada pela população. Raramente se observa alguém sentado em seus bancos, curtindo a sombra de suas árvores, desfrutando a tranquilidade do lugar. Nem mesmo crianças costumam frequentá-la. Vez por outra um casal de namorados descobre que o ambiente é propicio ao romantismo, embora a segurança fique a desejar. Os moradores do Bairro da Conceição deveriam adotar a praça como ponto de encontro, confraternizações e integração, possibilitando que a mesma  venha a cumprir a sua real função social. 
Raimundo Santos Teixeira foi um prospero agro-pecuarista de Ipiaú. Nascido em Jenipapo, distrito do município de Ubaíra, no Vale do Jiquiriça, era primo do escritor e ex-prefeito Euclides Neto e chegou à região cacaueira na década de 1940. Inicialmente fixou residência em Itagibá, onde se dedicou ao comércio de gado. No final dos anos 50 passou a residir em Ipiaú, já com família constituída: a mulher Cleonice Almeida Teixeira (dona Clezinha) e os  seis filhos: Perón, Petrônio, Perivaldo, Rita, Cléa e Agnaldo Teixeira. Orgulhava-se em ter conseguido formar todos  eles e vê-los no exercício de suas profissões. Raimundo Teixeira contribuiu com a expansão da zona norte da cidade ao desmembrar  parte da sua fazenda para constituir o Loteamento Bom Jardim.
*GIRO/José Américo Castro

0 comentários:

Postar um comentário