terça-feira, 1 de agosto de 2017

Praça Salvador da Matta: Nítida vocação cultural

Local já foi campo de futebol e palco de memoráveis disputas dos times locais.
Série Praças de Ipiaú - Antigamente, nos primórdios da cidade, ela era conhecida como Praça Tupinambá e comportava o campo de futebol, palco de memoráveis disputas dos times locais. Nessa condição permaneceu até os anos 50. Após a construção do Estádio Pedro Caetano, a área passou a ser chamada de Campo Velho. Circos, touradas, ciganos e turcos passavam temporadas naquele espaço, exibindo espetáculos, encantando crianças e adultos. No início da década de 1960 o prefeito José Motta Fernandes iniciou ali a construção do Mercado Municipal e algum tempo depois foi a vez da Feira Livre fixar-se no local que então já estava denominado de Praça Dr. Salvador da Matta. 

Por muitos anos a Praça Salvador da Matta abrigou a Feira Livre da cidade.
Em setembro de 2010 a feira foi transferida para o Centro de Abastecimentos, próximo à Rua do Sapo, e a praça ganhou nova conotação. Consolidou-se como centro de atividades culturais e recreativas. Na Praça Salvador da Matta acontece a badalada Festa de São Pedro, além de outros eventos culturais e esportivos e tantas outras manifestações da cultura ipiauense. Parques de Diversões também a utilizam. O logradouro serve como estacionamento de veículos e centro de treinamento de motoristas. Skatistas e motociclistas costumam usar o local para as suas manobras espetaculares. O prédio do antigo mercado está destinado a um Centro Cultural, comportando o Museu do Lavrador e outros equipamentos.

Salvador da Matta. Com o nome deste homem a praça não poderia ter outra vocação, senão a da cultura. Gerações inteiras foram educadas por ele que trouxe a Ipiaú “a aurora de uma nova manhã”. Natural de Catu, Salvador da Matta chegou em Ipiaú no ano de 1938, iniciando o exercício da medicina, como clínico e obstetra, sempre em partos normais. Trabalhou na Fundação Hospitalar de Ipiaú, onde foi diretor algumas vezes. Clinicou no Sindicato Rural de Ipiaú e também exerceu a função de médico legista. Em 1950 fundou o Ginásio de Rio Novo (GRN) e tornou-se um grande educador, além de forte liderança política. Foi vereador e duas vezes prefeito (1955/59 e 1971/73), muito contribuindo com o desenvolvimento da cidade.

Em 30/11/1952 participou da fundação do Rotary Club de Ipiaú, atuando no mesmo por 50 anos. No ano de 1954 ampliou os horizontes do GRN criando a Escola Normal de Rio Novo nas mesmas instalações do Ginásio. Em 1967 voltou a ampliar os horizontes do GRN criando o Curso de Contabilidade por meio do Colégio Comercial de Rio Novo. Preparou terreno para que a UNEB fosse instalada em Ipiaú. Dr. Salvador da Matta era casado com dona Zélia Maria Martins da Matta, tendo sete filhos: José Alberto. Regina, Helena, Carlos Alberto, Salvador Júnior, Adélia e Virgínia que lhes deram netos e bisnetos. A cidade guarda a sua memória na mais alta consideração. (Giro/José Américo Castro).

0 comentários:

Postar um comentário