sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Brasil: Exposição em museu de SP é acusada de incitação à pedofilia

Na ocasião, o artista aparece nu e pode ser tocado por criança.
Após a polêmica envolvendo a exposição “Queermuseu”, em Porto Alegre, mais uma performance artística foi acusada de incitação à pedofilia no país, desta vez em São Paulo. O caso aconteceu durante a performance "La Bête", realizada pelo coreógrafo carioca Wagner Schwartz, na abertura do 35º Panorama da Arte Brasileira no Museu de Arte Moderna (MAM).  Na ocasião, o artista aparece nu e pode ser tocado pela plateia. A onda de protestos na internet se deu após a divulgação de um vídeo no qual uma criança aparece entre o público e interage com o homem, tocando em sua perna e sua mão. 
Em decorrência das críticas, o MAM se posicionou por meio de um comunicado: “É importante ressaltar que o Museu tem a prática de sinalizar aos visitantes qualquer tema sensível à restrição de público. Neste sentido, a sala estava devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez artística. O trabalho não tem conteúdo erótico e trata-se de uma leitura interpretativa da obra Bicho, de Lygia Clark, artista historicamente reconhecida pelas suas proposições artísticas interativas”, pontuou, informando ainda que “o material apresentado nas plataformas digitais omite a informação de que a criança que aparece no vídeo estava acompanhada de sua mãe durante a abertura da exposição” e que, portanto, as acusações “denotam que as referências à inadequação da situação são fora de contexto”. 

0 comentários:

Postar um comentário