domingo, 3 de setembro de 2017

ENEM: Dicas de redação com o professor Samy Santos

Dissertar é Opinar - A tipologia cobrada no ENEM é o texto dissertativo-argumentativo. E isso ocorre desde o primeiro ano do exame, em 1998. Mas o que seria um texto dissertativo-argumentativo? Genericamente, esse tipo de texto pode ser definido como todo texto em que há predominância da opinião, mas não apenas isso.

Num texto formal, como a redação do ENEM, não basta opinar. Opinar por opinar as pessoas fazem isso diariamente nas conversas com amigos, familiares, vizinhos. É necessário que a opinião esteja fundamentada em argumentos consistentes, plausíveis, coerentes e também persuasivos. Afinal, o objetivo é convencer o leitor.

Um dos grandes mitos da Redação é que o candidato não pode expressar opinião no texto. Na verdade, não manifestar opinião poderá levar o aluno à nota zero no exame, isso porque o texto terá caráter demasiadamente expositivo, informativo do que dissertativo-argumentativo, tipologia exigida no ENEM. É claro, no entanto, que essa opinião deve ser manifestada de forma impessoal, em 3ª pessoa. 

É preciso lembrar, também, que correção da Redação do ENEM não é ideológica, e isso significa dizer que o corretor não vai avaliar se a sua opinião é similar a dele. Essa questão não faz diferença. O que ele avaliará, dessa forma, é se sua opinião é coerente, faz sentido e em nenhuma hipótese fere os Direitos Humanos. Muitos candidatos têm destilado ódio e preconceito nos textos sob o ‘argumento’ de que estão apenas manifestando opinião. Isso é mortal no texto. Nota Zero!

Assim, é importante lembrar que errar a tipologia textual do exame, fugir do tema, escrever em 1ª pessoa, não manifestar opinião ou ferir os direitos humanos estão entre as principais causas de nota zero na Redação do ENEM. O caminho é ler muito, escrever com frequência e ter os textos corrigidos por profissionais da área.

No próximo artigo vamos discutir as principais estratégias para a abordagem temática do ENEM. Vamos, a partir da próxima semana, entrar verdadeiramente no texto. Até lá!
Samy Santos é professor do Colégio Santo Agostinho.

0 comentários:

Postar um comentário