segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Prefeita comenta movimento do sindicato dos servidores e participação do MST

Integrantes do MST de Ipiaú participaram de movimento em frente a prefeitura (Foto: Giro Ipiaú).
A paralisação dos servidores municipais de Ipiaú segue nesta terça-feira (05). A informação é do presidente do SIMIP, Jaelson Vasconcelos. Segundo ele informou ao GIRO, está programada também uma audiência pública com a categoria, no salão da Câmara de Vereadores. Conforme Jaelson, o próximo diálogo entre sindicato e prefeitura deve ocorrer na segunda-feira (11), quando representantes da prefeitura deverão apresentar um levantamento sobre a possibilidade dos reajustes reivindicados pelo sindicato. Através das redes sociais, a prefeita Maria das Graças comentou a paralisação e o movimento organizado pelo SIMIP. “Respeito todo tipo de manifestação, é um direito assegurado pela Constituição Federal. Só não aceito desrespeito e truculência. Hoje pela manhã, servidores que não quiseram aderir à paralisação organizada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ipiaú (SIMIP), foram impedidos de entrar na Prefeitura por membros do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a serviço da direção do Sindicato. Os Secretários também foram barrados na portaria. Respeito à luta do MST, mas eles não são servidores do município para participarem de negociações com o Sindicato. A Democracia não é exercida desta forma. Volto a afirmar que o diálogo permanece aberto. Já recebemos o Sindicato, cinco vezes no gabinete, o que nunca aconteceu na gestão anterior”, diz a nota. Jaelson negou a acusação da prefeita: "Em hipótese alguma houve isso. Nós pregamos o direito de ir e vir das pessoas, e estamos aqui só defendendo os direitos dos servidores".
Prefeitura acusa o SIMIP de impedir o acessos de servidores ao local de trabalho (Foto: Giro Ipiaú)
Sobre a participação do MST, o presidente do SIMIP comentou: “Isso aí é uma dúvida que fica na cabeça das pessoas que não conhecem o que é um movimento sindical. O MST e o nosso sindicato são filiados a CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil), e quando tem qualquer movimento sindical é convocado todas as entidades filiadas, por isso que eles estavam presentes, a convocação é da CTB”, disse Jaelson.  O coordenador do Movimento dos Sem Terras, em Ipiaú, Damasceno do Santos, afirmou que o MST e o SIMIP estão unificados na luta pelos direitos dos trabalhadores. “A luta é unificada, nós somos um movimento que também nos representamos perante a questão sindical, somos um movimento de massa, de caráter político, sindical e popular. Então qualquer convocação vinda por parte da CTB estaremos presentes”, comentou Damasceno. Além de reajustes salariais, o Sindicato dos Servidores Municipais de Ipiaú reivindica melhores condições de trabalho. De acordo com o SIMIP, 128 servidores aderiram à paralisação nessa segunda-feira. (Giro Ipiaú)

0 comentários:

Postar um comentário