terça-feira, 12 de setembro de 2017

Vendas do varejo baiano caem 0,9% de junho para julho, diz IBGE

O varejo baiano teve desempenho pior que a média nacional.
Em julho de 2017, as vendas do varejo na Bahia voltaram a cair (-0,9%) em comparação ao mês anterior, na série livre de influências sazonais, após o crescimento de 2,3% que havia sido registrado de maio para junho. Nesse confronto, o varejo baiano teve desempenho pior que a média nacional (0,0%) e acompanhou outros 10 estados em que as vendas também recuaram. Os piores resultados foram registrados pelo comércio de Tocantins (-5,3%), Rio Grande do Sul (-2,1%) e Distrito Federal (-2,1%). Dos 16 estados com aumentos nas vendas em julho, frente a junho, os destaques foram os desempenhos de Amazonas (3,0%), Santa Catarina (2,4%) e Roraima (2,2%). 

Apesar do resultado negativo frente a junho, quando a comparação é com o ano de 2016, as vendas do comércio varejista baiano mantiveram-se em alta (0,6%) em julho. Foi o segundo incremento consecutivo das vendas nesse tipo de confronto depois de quase dois anos e meio de recuos seguidos. Em junho, o comércio já havia crescido 1,5% na Bahia.  Ainda assim, em relação a julho de 2016, o varejo baiano (0,6%) segue crescendo bem menos que a média nacional (3,1%) e mantém o segundo resultado positivo mais tímido, acima apenas de Mato Grosso do Sul (0,3%). Dos 27 estados, 7 tiveram quedas nas vendas do comércio em julho nessa comparação, sendo as mais intensas em Goiás (-9,5%), Distrito Federal (-5,6%) e Paraíba (-5,5%). Por outro lado, o varejo teve seus melhores resultados, em julho 2017/ julho 2016, em Santa Catarina (14,2%) e Alagoas (10,3%) e Amazonas (8,2%).

0 comentários:

Postar um comentário