sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Prefeito de Gongogi se recusa a dialogar com servidores e tranca a porta da prefeitura

Sem receber os salários de dezembro de 2016, os profissionais da educação de Gongogi fizeram ato para chamar a atenção da população nesta quinta-feira (9/11). Uma assembléia da APLB/Sindicato foi realizada no período da manhã como uma tentativa de negociação com o prefeito municipal Kaçulo (PR), que não compareceu. Sem saída, após a reunião da categoria, os servidores públicos do setor educacional do município saíram em caminhada em direção à prefeitura da cidade, onde pressionaram para que um canal de diálogo e negociação com o prefeito Kaçulo fosse aberto, mas surpreendentemente, os manifestantes encontraram a sede administrativa da prefeitura municipal fechada com um aviso “Trabalho Interno”, sem nenhuma comunicação prévia, embora às quintas-feiras são reservadas para o atendimento ao público e foram proibidos de conversar com o gestor. Segundo a direção da APLB/Sindicato, o movimento é legítimo para toda a categoria, porque além da luta incansável pelo pagamento do salário de dezembro de 2016, que o prefeito anterior deixou depositado, embora foi criada uma comissão especial para apuração do implemento de condições para liquidação das despesas e até o presente momento não foi apresentado o relatório final da auditoria. Segundo o blog local Portal Gongogi, nesta sexta-feira (10/11), não haverá aula em nenhuma escola, porque todos os trabalhadores da educação municipal estarão em atividades na paralisação nacional contra a reforma trabalhista, a partir das 08:30 h da manhã e haverá concentração em frente ao prédio da prefeitura.

0 comentários:

Postar um comentário