quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

70% das praias brasileiras estão impróprias para banho em áreas urbanas

O levantamento foi feito com base nos dados sobre a presença de bactérias nas águas.
Segundo levantamento realizado pelo jornal Folha de S. Paulo, 70% das praias brasileiras estão impróprias para banho. A pesquisa analisou 1.217 praias, em 13 estados do litoral, no período de janeiro a outubro deste ano, e constatou que sete em cada dez praias poluídas no país estão em cidades com mais de 100 mil habitantes. O levantamento foi feito com base nos dados sobre a presença de bactérias nas águas. Foram consideradas péssimas aquelas praias que estiveram impróprias em mais de 50% das medições realizadas no período. São ruins as que estiveram impróprias entre 25% e 50% das vezes. As praias regulares foram consideradas impróprias em 25% das coletas. Já as boas são aquelas que não estiveram impróprias em nenhuma das medições.

Mesmo que a praia seja considerada própria para banho, é preciso ficar em alerta: a classificação anual das praias, baseadas nos níveis semanais ou mensais de coliformes fecais é uma média, podendo, assim, uma praia considerada boa ou regular apresentar riscos aos banhistas. Entre os fatores apontados para a concentração de praias sujas em áreas urbanas estão a deficiência na coleta e tratamento de esgoto e a poluição dos rios.   O Rio Grande do Sul foi considerado, pela pesquisa, o estado com maior porcentagem de pontos bons para o banho, com 93%. Já Pernambuco, no Nordeste brasileiro, lidera o ranking de praias ruins ou péssimas, com 60% dos pontos para banho nessas categorias.