terça-feira, 5 de dezembro de 2017

A emocionante história de Felipe Cardoso

Felipe "Panda" Cardoso nasceu no interior do Piauí há pouco mais de 23 anos. O jovem, formado em contabilidade, quando se tornar um dealer e eventualmente realizar o sonho de participar de uma etapa da Brazilian Series of Poker (BSOP). Mudança de 180º na carreira- Cardoso conheceu o poker através de alguns amigos, que costumavam se reunir para disputar partidas em suas casas. Seu amor pelo esporte cresceu rapidamente e há quase dois anos atrás ele acabou realizando um curso de dealer. As funções do dealer em partidas de pôquer envolvem dar as cartas para os competidores no início de uma rodada e as demais cartas da mesa a medida que ela se desenvolve. Ele também controla o pote e é o principal responsável por interpretar os sinais dos jogadores e controlar o que está acontecendo na mesa de maneira geral.
Felipe tem uma personalidade carismática e atenciosa e leva muito jeito para as particularidades do trabalho. Aliar isto a uma atitude altamente proativa fez com que ele subisse agilmente os degraus da profissão, e acabasse sendo contratado para dar as cartas no Nordeste Poker Series (NPS). Com os primeiros passos realizados e devidamente encaminhado em seu novo ofício, o sonho de participar de um BSOP se tornava cada vez mais próximo.

A realização de um sonho- O poker é um dos esportes que mais cresce no Brasil e a Brazilian Series of Poker (BSOP), criada em 2006, é um dos seus maiores expoentes. Repleta de grandes números, trata-se do maior evento de poker da América Latina e o segundo maior do esporte em todo o mundo, ela contaria com a presença um grande número de competidores e dealers profissionais.

Seriam contratados mais de 70 dealers para o grande acontecimento e Cardoso pretendia ser um deles, tanto que já havia comprado passagem e reservado o hotel para a tão sonhada viagem. Infelizmente, a lista de seleção é aleatória e o seu nome foi o único de toda a sua equipe que não havia sido selecionado. 

O piauiense tem alma de guerreiro e não se deixou abalar. Considerando que tudo já estava pago, resolveu se dirigir para o torneio mesmo sem garantia de que conseguiria trabalhar, já que desta forma pelo menos teria a chance de conhecer o que acontece em uma etapa do BSOP.

Ao viajar com seus colegas e chegar no hotel, um dos dealers de uma equipe diferente que havia sido selecionado acabou faltando e a chance que ele tanto queria finalmente apareceu, conforme ele revelou em uma entrevista recente.

"Fui para a entrada do hotel, fiquei sentado lá fora, com todos os dealers uniformizados e eu de calça jeans e camisa, não queria entrar na sala dos dealers porque não tinha sido convocado, mas a organização ficou sabendo que estava lá e acabou me oferecendo a oportunidade de trabalhar." contou Felipe de maneira entusiasmada antes de prosseguir com o emocionante relato.

"Eu fui, meu primeiro BSOP! Logo no primeiro dia do evento já me chamaram para dar cartas no torneio de Omaha, não tinha nem entrado em um salão de BSOP na minha vida... Cheguei na porta e não acreditei. Sentei na mesa, rendi o colega, e sendo bem sincero, minha mão tremeu no começo! Depois veio a tranquilidade, vi que era realidade e que agora só ia depender de mim".

O que aguardar para o futuro- Felipe ainda é jovem e conta com muita força de vontade, o que promete um futuro promissor a sua frente. No futuro pretende atuar em outros grandes torneios ao redor do país, mas não seria nada surpreendente se sua carreira alcançasse alçadas internacionais.

0 comentários:

Postar um comentário