sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Chope de mel de cacau agrada o paladar dos visitantes do Bahia Rural Contemporânea

Bebida é apresentada na 30ª edição da Fenagro (Foto: Divulgação)
O cacau, principal matéria-prima do produto queridinho dos brasileiros, o chocolate, ganhou nova roupagem nas mãos de agricultores familiares da Cooperativa de Desenvolvimento Sustentável da Agricultura Familiar do Sul da Bahia (Coofasulba), de Ilhéus, que traz o Chopp de Mel de Cacau ao Bahia Rural Contemporânea, evento que segue até este domingo (03), no Parque de Exposição de Salvador, em paralelo à 30ª edição da Fenagro. O chope, produzido artesanalmente, vem despertando a curiosidade dos visitantes como do aposentado Edilson de Oliveira, que conta que ficou muito curioso com a novidade: “A bebida é diferente, encorpada, gostosa. Com certeza, vou sair daqui com uma dica para indicar pra família e pros amigos”. O publicitário João Ribeiro ficou encantado com o que saboreou: “A união perfeita entre um leve e saboroso chope com o acentuado sabor de cacau. Frutado na medida certa, favorecendo os amantes da cerveja e proporcionando uma experiência gustativa maravilhosa”. De acordo com o representante da Coofasulba, Gildeon Farias, o mel de cacau é um resíduo ainda pouco utilizado, que antecede a fermentação das amêndoas para a produção do chocolate: “A maioria do mel de cacau é desperdiçada. Estamos aproveitando essa matéria-prima e agregando valor ao fruto com um produto diferenciado”.
Mais novidade
Inspirada nas Fruit IPAs americanas, uma cerveja mais amarga devido à grande quantidade de lúpulos, e com aroma da fruta, a Coofasulba trouxe este ano ao Bahia Rural Contemporânea mais uma novidade, o cerveja de cuapuaçú. O Bahia Rural Contemporânea, maior evento da agricultura familiar do Brasil, é promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e tem o objetivo de apresentar ao público a produção da agricultura familiar, economia solidária e reforma agrária, mostrando toda a diversidade cultural e produtiva dos Territórios de Identidade da Bahia.

0 comentários:

Postar um comentário