domingo, 3 de dezembro de 2017

Cultura brindou o aniversário de Ipiaú numa noite magistral

A noite de 2 de Dezembro, em homenagem ao 84º aniversário de emancipação política de Ipiaú, foi mesmo magistral. E bote definições nisto: sublime, espetacular... Do Coral Municipal à Orquestra do Neojiba. Da decoração da praça ao público presente. Tudo muito bonito. Sensacional. Solistas e coristas abriram um canto de paz, encantaram com um repertório recheado de clássicos da MPB e canções natalinas. Fecharam a apresentação com a apoteótica Aleluia de Handel. A participação do cantor Darlan Gomes ampliou a grandeza do momento. O garoto Davi Lisboa, reafirmou sua versatilidade em extraordinário talento cênico.
Em seu discurso a prefeita saudou a população, parabenizou o município pelos 84 anos de autonomia e reafirmou seu propósito de fazer Ipiaú continuar a crescer. Disse que encontrou uma casa desarrumada e vem lutando para colocar tudo em ordem, a máquina nos trilhos.
Nesse primeiro ano do governo de Maria a cultura teve vez em suas múltiplas vertentes, fez a diferença, impôs seu ritmo, brilhou. Inúmeras outras realizações estão em pauta para o ano vindouro, quando será instalado o Sistema Municipal de Cultura. Muitas portas se abrirão aos artistas da terra.
Brilhando, cintilando, a ornamentação da praça cresceu aos olhos do povo. A decoração natalina é um convite à confraternização entre os homens e mulheres de boa vontade. Está muito bonita mesmo. É bom lembrar que o investimento não absorveu recursos públicos, foi do (a) próprio (a) bolso, ou bolsa, da prefeita. Presente dela à cidade que lhe conduziu ao poder administrativo.
E veio Grupo de Metais e Percussão do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) e a plateia atenta aplaudiu de pé, assim como fez em relação ao coral. O povão mostrou que gosta da boa música, que sabe valorizar a excelência da arte e que espera uma sequência de eventos de alta qualidade.
O ipiauense Marcel Hohlenwerger (filho de Áurea e Egildo Barberino) dividiu palco com a orquestra que lhe acompanhou na execução da composição “Levante”, da sua autoria. Com arranjo do mestre/maestro Jamberê Cerqueira, a música foi gravada em uma das faixas do premiado disco “Amaré”, obra prima de Marcel.
A platéia se deliciava, acompanhava o concerto como se estivesse num teatro convencional. No repertório obras de Giancarlo Castro, Dimitri Shostakovich, Michele Girardi, Hermeto Pascoal, Luiz Gonzaga e Pixiguinha.
Ao final, novos aplausos. O maestro Helder Passinho Junior, agradeceu e afirmou: “A cidade está linda, o povo está radiante”. Depois da orquestra teve Jaqueline Torres com a Banda Cupim de Ferro. “Ipiaú meu bem querer, teu Rio de Contas tranquilo a correr...  (Giro/José Américo Castro/ Fotos:Ascom/PMI).

0 comentários:

Postar um comentário