sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Jequié: Operação da Policia Civil prende 15 suspeitos de tráfico de drogas

15 pessoas foram presas na Operação da Polícia Civil (Foto: Divulgação)
A Polícia Civil/9ª Coorpin de Jequié desencadeou às 6h da manhã desta quinta-feira (21), a operação Joaquim Romão com o objetivo de combater o tráfico de drogas, roubos e homicídios cometidos por um grupo criminoso instalado na cidade. A operação é resultado de meses de investigações, acompanhamento de alvos e pesquisas. Sob a coordenação do diretor da 9º Coorpin, delegado Cristiano Aurich, juntamente com os delegados Cristiano Mangueira e Nilo Siqueira a operacionalização contou com a participação de sete Delegados, 35 Investigadores, 6 Escrivães, sendo empregados 15 viaturas da Policia Civil. Foram cumpridos 15 mandados de prisão, uma condução coercitiva, 17 mandados de busca e apreensão e uma prisão em flagrante por tráfico de drogas.

Foram presos Cleber Almeida Santos, Carlos Eduardo Santos Sampaio, Jefferson Nascimento de Oliveira, Erisvan Cruz Sales, Ivone Novais Lima, Luciana Silva Santos, Viviane Almeida Santos, Sidney Alves de Oliveira, Guilherme Santos Torres, Danilo Souza Alves, Mateus Tomaz Reis, Luciano dos Santos Almeida, Edvaldo Costa dos Santos Filho, Robson Oliveira Silva e José Carlos Silva Ribeiro. O diretor regional da 9ª Coorpin, Fabiano Aurich comentou que “a partir dessas prisões, a Polícia Civil espera que o número de homicídios, roubos e tráfico de drogas tenha uma redução imediata, a operação deve refletir em um final de ano mais tranquilo para a população”.

O delegado Flávio Góis, diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), destacou que mesmo presos, alguns dos suspeitos aparecem sorrindo em uma foto divulgada pela SSP. "Percebam que mesmo diante de uma operação que demandou meses de investigação, coleta de provas e mandados de prisão autorizados pela Justiça, alguns dos traficantes aparecem na foto sorrindo. Este lado irônico nós policiais presenciamos todos os dias. Alguns chegam a falar em depoimento que não ficarão 30 dias presos. A certeza da impunidade, diante das nossas leis, dá força para este tipo de gente", comentou o delegado.

0 comentários:

Postar um comentário