domingo, 24 de dezembro de 2017

Jovem ipiauense é promessa da arbitragem baiana

Saulo Moreira (centro na foto) é promessa para brilhar nos principais palcos do futebol brasileiro.
A reportagem do GIRO conversou com o ipiauense Saulo Moreira, de 22 anos, revelação da arbitragem baiana e grande promessa para brilhar nos principais palcos do futebol brasileiro. Ao GIRO, ele comentou sobre a conclusão da parte teórica e prática exigidos pela Confederação Brasileira de Futebol e Federação Baiana de Futebol. “Eu terminei o curso profissional com carga horária de 400 horas exigidos pela CBF, e acabei de concluir a pré-temporada para trabalhar em 2018 no Campeonato Baiano”, disse Saulo. O ano de 2017 para Saulo foi muito produtivo, onde trabalhou em diversas competições. “Esse ano trabalhei no Campeonato Baiano Sub 20 (5 jogos), Copa das Ligas de Salvador, Campeonato Baiano Sub 17, Campeonato Baiano Sub 15, Copa Dente de Leite e Campeonato Baiano Sub 13. O intermunicipal ainda não atuei porque estou na capital e o custo de deslocamento (quem paga é o time mandante) fica muito alto, mas estou tentando viabilizar essa questão. E em 2018 acredito que farei minha estreia (Série A ou B do Baiano)”, comentou. 

Depois de um bom desenvolvimento em 2017, Saulo traça o que espera de 2018. “O ano de 2018 será um ponto crucial na minha carreira, pois acredito que irei começar a atuar em meus primeiros jogos profissionais. Fiz a primeira turma da pré-temporada em dezembro e graças a Deus obtive bons resultados, tanto teórica quanto fisicamente”, afirmou. A FIFA tem investido no árbitro de vídeo para tentar tornar o resultado da partida o mais justo possível e diminuir erros da arbitragem, e Saulo opinou sobre o assunto. “Há pontos positivos e negativos, mas acredito que em breve as imperfeições serão resolvidas, até porque está em fase de testes. Ponto positivo porque diminuirão os erros e as equipes não sairão de campo tão prejudicadas. Ponto negativo é o tempo para decidir sobre um determinado lance. Já tivemos casos em que o jogo ficou parado por mais de 5 minutos. Isso é ruim para quem está assistindo no estádio, para quem está em casa, para a TV, etc.”, opinou ele. 

Entra ano e sai ano e a arbitragem brasileira é muito criticada pela mídia, mas Saulo discorda de quem pensa assim. “Eu avalio que o Brasil tem um bom nível de arbitragem. Temos bons nomes aqui. Há muito mais acertos do que erros, mas infelizmente no futebol não se pode errar. E quando erramos, tem um peso muito grande. A mídia critica muito o nível de arbitragem, mas também esquece do nível de futebol. Dificilmente há respeito entre jogadores, a ‘malandragem’ aqui é muito maior que qualquer país do mundo. Jogadores querem ganhar a qualquer custo. Dificilmente se aceita perder. E isso dificulta ainda mais o trabalho do árbitro aqui no país”, avaliou Saulo. As referências que Saulo tem na arbitragem são o brasileiro Anderson Daronco, do Rio Grande do Sul, e o alemão Felix Brych. (GIRO/Romário Henderson)

0 comentários:

Postar um comentário