terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Patriarca da Odebrecht anuncia que familiares não ocuparão mais presidência da empreiteira

O diretor-presidente será escolhido pelo presidente do conselho de administração dentre os diretores da Odebrecht .
Cerca de uma semana antes de o empresário Marcelo Odebrecht deixar a prisão, seu pai, Emílio, anunciou nesta segunda-feira (11) que os membros da família não vão mais ocupar o cargo de presidente na empresa. O diretor-presidente será escolhido pelo presidente do conselho de administração dentre os diretores da Odebrecht e deve ter, no máximo, 65 anos. O acordo firmado com a Justiça já previa que Marcelo, que passou dois anos e meio atrás das grades, permaneceria afastado da gestão do grupo. Ele seguirá em prisão domiciliar. "Esta decisão representa a vontade do acionista controlador de promover a separação entre a família Odebrecht e a liderança executiva da Odebrecht S.A., holding do grupo, e deixa claro que a assembleia geral é o foro onde o acionista controlador pode atuar, interagir e deliberar", disse Emilio Odebrecht no comunicado.

A família passa a ser representada na empresa, portanto, apenas pelo presidente do conselho de administração. Também no comunicado, o empresário afirmou que a Odebrecht vai continuar trabalhando para que as empresas do grupo atraiam novos sócios e suas ações venham a ser negociadas em Bolsa. A mensagem faz parte de uma nova política de governança perseguida pela empresa após os escândalos de corrupção que mancharam o nome da companhia nos últimos anos com a Lava Jato. Como parte da estratégia, as empresas pertencentes à holding terão seus nomes e logotipos renovados, retirando a cor vermelha da logomarca tradicional e alterando a tipologia das letras. A Odebrecht também criou um departamento para fiscalizar as condutas empresariais do grupo, que responde ao conselho de administração. *Bocão News