terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Ipiaú: Moradores do ACM reclamam da taxa de esgoto e dos serviços prestados pela Embasa

Apesar de pagar 80% de taxa de esgoto, moradores reclamam da falta de serviços da embasa.
Moradores do bairro Residencial Antônio Carlos Magalhães (ACM), reclamam da falta de manutenção na rede de esgoto na localidade e da cobrança da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), referente a taxas de esgoto no valor equivalente a 80% do consumo da água. De acordo com um decreto municipal - estabelecido no ano passado - aprovado na Câmara e sancionado pela prefeita, essa cobrança tornaria-se indevida, no entanto, a embasa segue cobrando a taxa. No bairro reside mais de cinco mil moradores e todos estão insatisfeitos com o que eles chamam de "descaso". Segundo relatos de alguns deles, a comunidade está pagando por algo que não funciona. Ainda de acordo com os consumidores, nas ruas existem vários vazamento de esgoto e alguns canais estão de lixo e sem manutenção. Revoltados, moradores registraram as imagens das ruas sem nenhum saneamento básico.
A equipe de reportagem do GIRO entrou em contato com a Embasa na tarde desta segunda-feira. Por telefone, a assessoria alegou que a lei municipal que proíbe a cobrança da taxa dos 80%  não é superior a Lei estadual que determina a cobrança da mesma. Foi dito ainda que a taxa não é  cobrada nos bairros que tem um sistema independente, ou seja, uma empresa contratada pelos moradores que fazem a manutenção do esgoto. Para estes casos a taxa é reduzida para 45% por morador, o que não se aplica em Ipiaú. A Embasa enfatizou ainda que eles realizam manutenção corretiva para consertar os vazamento e a preventiva para limpar os canais. "Mas os moradores fazem mal uso do sistema, já foram encontrados roupas, fraldas e outros resíduos que fazem o entupimento da rede de esgoto", disse a assessoria. Já, a limpeza do canal a Embasa lembrou que a responsabilidade é da prefeitura. (Giro Ipiaú)

0 comentários:

Postar um comentário