quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Iramaia: Polícia diz que assassinos de líder do MST chegaram para roubar

Marcio Oliveira foi assassinado dentro de casa, na frente do filho de 06 anos.
Os dois homens que mataram com cinco tiros uma das lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na Bahia, Marcio Oliveira Matos, 33, na noite desta quarta-feira (24), em Iramaia, na Chapada Diamantina, foram até a casa da vítima para roubar, afirmou nesta quinta-feira (25) a Polícia Civil. O delegado que investiga o caso, Fabiano do Santos Aurich, coordenador da 9ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Jequié), disse que os homens chegaram na casa de Marcio, localizada num assentamento rural, pedindo dinheiro, mas saíram do local do crime sem levar nada. O assentamento Boa Sorte Una, onde a vitima vivia, tem 416 famílias assentadas, possui 17.387 hectares e foi criado em 25 de julho de 2006. No momento em que foi assassinado, Marcio estava em casa apenas com o único filho, de 6 anos. O delegado Fabiano Aurich preferiu não comentar sobre os tipos de balas encontradas no local do crime. Matos foi atingido no rosto e no tórax e morreu na hora.

O coordenador do MST na Bahia Evanildo Costa disse ao CORREIO que os homens que mataram o líder sem terra chegaram de moto ao local do crime, mas a polícia disse que não teve informações sobre o meio de transporte dos homicidas. Até o momento, a polícia disse que não teve informações sobre se Marcio vinha sofrendo ameaças. Coordenador da Comissão Pastoral da Terra (CPT), braço da Igreja Católica, na região do Centro Norte da Bahia, Cláudio Dourado diz acreditar que o crime tenha relações com o acirramento político-ideológico por conta da condenação nesta quarta-feira (24) do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, pelo Tribunal Regional da 4º Região, em Porto Alegre (RS). *Informações do CORREIO