quarta-feira, 28 de março de 2018

Ipiaú: Vereadora Simone rebate denúncia sobre privatização do Matadouro Municipal

Na última sessão da Câmara de Vereadores, um vereador levou à discussão para a Casa Legislativa, afirmando não ter sido uma boa iniciativa a concessão privada do Matadouro Municipal de Ipiaú, que a empresa não concretizou o que deveria e que faltou fiscalização por parte dos vereadores da legislatura passada. Nesse sentido, a vereadora Simone Coutinho, recorreu às redes sociais e noticiários da FM Ipiaú para rebater seu colega, afirmando que o pedido que autorizou a concessão foi aprovado por unanimidade e que ela fiscalizou e acompanhou os investimentos realizados pela empresa, de acordo como preconiza a portaria 304 do Ministério da Agricultura, dizendo que o vereador faltou com a verdade na sua denúncia.

“Quem me conhece, sabe que todos os meus atos representando a população como vereadora são sempre pautados em muita transparência, ética, honestidade e retidão. Todos os meus atos estando vereadora de Ipiaú são sempre pensando no benefício da minha cidade e do nosso povo. No caso do Matadouro não foi diferente, após aprovar, fiscalizei de perto os investimentos propostos, para fazer valer a responsabilidade do meu voto e tudo estava a contento sim. Tenho fotos que comprovam.” disse a vereadora, que ainda na sua resposta, fez alguns questionamentos a vereador denunciante, “como pode hoje ele chamar os 13 vereadores e o prefeito da época de mentirosos? Como pode dizer que a concessão do foi uma enganação? Como pode dizer que o melhor hoje é se construir um novo matadouro no Distrito Industrial que nem sequer existe? O Governo do Estado não está cumprindo com sua obrigação de reformar a Delegacia e a Rodoviária, vai querer gastar com matadouro novo vereador?”. Finalizou Simone Coutinho. 

O Matadouro de Ipiaú foi implantado no governo de Antônio Carlos Magalhães, fruto de uma emenda do falecido deputado Luís Eduardo Magalhães, tendo como prefeito à época o sr. Miguel Cunha Coutinho e foi interditado no dia 02/09/2016, após o Ministério Público acatar pedido da ADAB, permanecendo assim até a presente data.  *Informações da assessoria da vereadora Simone Coutinho