quinta-feira, 3 de maio de 2018

Agamenon Oliveira: um sax de muita categoria

A influência inicial veio do âmbito familiar por herança do seu avô.
Série Músicos da Região - Na relação dos melhores músicos da região está o saxofonista Agamenon Oliveira Sobrinho, 34 anos, natural de Jacobina, residente em Ipiaú e soldado da 55ª Companhia Independente da Policia Militar. Seu talento musical está alicerçado na tradição das filarmônicas. Foi nelas que ele adquiriu traquejo, disciplina, versatilidade e capacidade de improvisação. A influência inicial veio do âmbito familiar por herança do seu avô, o maestro Armindo Oliveira que foi regente da secular Filarmônica 2 de Janeiro, da cidade de Jacobina, onde se revelou compositor de excelentes peças como o bolero “Alvorada em Brasília”. Os mestres Atília e Almiro Oliveira, irmãos de Armindo, fizeram história na música baiana, por terem fundados algumas das mais importantes filarmônicas da Chapada Diamantina.
Agamenon já atuou em várias bandas na região.
Agamenon tinha a idade de 12 anos quando foi conduzido pelo seu pai, capitão Mauricio, para a Filarmônica 14 de Agosto, na cidade de Itagibá, que então era regida pelo sub-tenente Valdomiro e foi fundada pelo maestro Jota Melo, cujo instrumento predileto foi exatamente o saxofone. Nas viagens à Jacobina, Agamenon recebia lições precisas do mestre Armindo e também tocava na  Filarmônica 2 de Janeiro. Quando ingressou na Policia Militar participou da banda do 9º Batalhão de Vitoria da Conquista. Das filarmônicas levou o ritmo cadencial das marchas e dobrados, o breque gostoso dos sambas e maxixes, o embalo dolente das valsas, para as bandas de música popular. A primeira a ser contemplada foi a banda  “De Carona no Pagode”, em cuja formação estavam Edi Pires (vocal), Jorginho Bombom e Caymmi Amorim (percussão), Fofo (baixo) e Bruno Costa (teclados).

À proporção que se estabelecia como músico, Agamenon recebia convites para ingressar em outras bandas e animar eventos sociais. Assim chegou  na “Samba Light”, onde fez bonito com Juninho San (vocal), Mano Bala (percussão), Evelin (bateria), Sussa (baixo) e Alê Barbosa (guitarra). Depois esteve com Duda, na Perkata de Couro, e ampliou sua fama na “Pé de Badoque”, “Rabana Smith”, “SodaPop” e “Samba do Bom”. Também tocou com Saulo Fernandes ( ex Banda Eva),  Moreno do Capricho e a dupla Reinaldo e Reinan. No ano passado, junto com seu pai e os amigos Boca e Alexandre, fundou a banda “Pega Geral”, onde se descobriu vocalista. Agamenon lidera a nova banda que conta com músicos experientes, a exemplo de Sussa (baixo), Zildes Sete Cordas (violão), Marcos San (cavaquinho), Giba (reco-reco), Zé Tenaz (bateria) e Capitão Mauricio (percussão). Utilizando os mais diferentes ritmos, jazz, bossa nova, dance music, MPB, o sax de Agamenon Oliveira emite  belas melodias, comove as pessoas, promove a arte musical e é motivo de honra para toda a região do médio Rio das Contas. (Giro/José Américo Castro).