quarta-feira, 30 de maio de 2018

Petroleiros ignoram decisão do TST e anunciam início de greve de 72 horas

(Foto: Marcos de Paula / Agencia O Globo )
A Federação Única dos Petroleiros (FUP) iniciou na madrugada desta quarta-feira (30) uma greve de 72h pelo país. Na véspera, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) considerou o movimento abusivo e estipulou multa de R$ 500 mil por dia aos sindicatos, após ação ajuizada pela Petrobrás e a Advocacia-Geral da União (AGU). Em comunicado, publicado pouco depois da 1h, a FUP relata que os funcionários “não entraram para trabalhar” em refinarias de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Amazonas e Pernambuco. Segundo a federação, a greve prosseguirá até a meia noite de sexta-feira (1) nas bases operacionais e administrativas dos 13 sindicatos que integram a FUP. A FUP afirma, entretanto, que não há risco de desabastecimento ao país. "Os tanques das refinarias estão abarrotados de derivados de petróleo, em função dos protestos dos caminhoneiros. A nossa greve é para defender o Brasil, é para que os brasileiros paguem um preço justo pelo gás de cozinha e pelos combustíveis”, afirmou, em comunicado divulgado na página da federação o coordenador geral José Maria Range.

Bahia não deve ser afetada com a paralisação
A greve de 72h dos petroleiros, que se iniciou nesta quinta-feira (30), não afetará a distribuição de combustível e de derivados de petróleo na Bahia, de acordo com o Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro). A categoria afirma que três dias de greve não é suficiente para implicar em um desabastecimento.