terça-feira, 12 de junho de 2018

Ipiaú: Irmãos encontrados mortos tinham sinais de depressão

Irmãos foram encontrados mortos em um quarto de pousada no centro de Ipiaú.
A policia encontrou ampolas de medicamentos, entre eles insulina, e duas seringas na lixeira do quarto de pousada onde estavam os irmãos Charles Alves de Figueiredo, de 42 anos anos, e a mulher como Taíze Alves de Figueiredo, de 36 anos, encontrados mortos por volta do meio-dia dessa terça-feira (ver aqui). De acordo com o delegado titular de Ipiaú, Rodrigo Fernando, os corpos dos irmãos possuía marcas das aplicações das seringas. A polícia acredita em duplo suicídio. Após perícia realizada no local pelo DPT, os corpos foram encaminhados para o IML de Jequié. 
Ampolas de medicamentos encontrados no quarto onde estava o casal de irmãos.
Conforme apurou nossa reportagem, Charles era professor de um colégio estadual no município de Canavieiras, onde residia. Ele teria chegado em Ipiaú nesta segunda-feira, para visitar os familiares, e saiu de casa no final da manhã na companhia da irmã. O funcionário da Pousada, localizada entre a Rua Tomé de Souza e Praça do Cinquentenário, disse à polícia que eles deram entrada no quarto por volta das 13h de segunda-feira.
Caixas de medicamentos foram encontradas dentro de lixeira.
Os corpos só foram encontrados por volta do meio-dia dessa terça-feira (12), após a dona da pousada pedir ao funcionário para verificar se o casal ainda estava no cômodo. A Polícia Militar foi acionada e isolou o local, aguardando o DPT para identificação dos corpos, no entanto, familiares que já procuram pelos irmãos desde a noite de segunda-feira, se dirigiram até o local e fizeram o reconhecimento. De acordo com relatos de pessoas próximas à família, Taíze e Charles tinham sinais de depressão. O caso abalou a comunidade de Ipiaú. 
Taíze Figueiredo atuava como uma protetora dos animais. Em seu perfil no facebook se encontram várias fotos de animais (cães e gatos cuidados) por ela e outros integrantes de um grupo de proteção. Já no perfil do professor Charles, existem algumas postagens compartilhadas de uma página identificada como "Manifesto Visionário", as quais questionam crenças espirituais e sentido da vida. 
Em uma postagem escrita por Chales, publicada às 21h35 do último dia 28 de maio, ele menciona sobre o suicídio: "Seria fantástico se a pessoa na fila de espera por um órgão e que está desesperada para viver pudesse fazer um acordo perante a lei com quem já está cansado da existência e pretende dar fim à própria vida: uma eutanásia indolor promovendo alívio ao " desajustado" e esperança para o que acha que precisa ficar vivo. Imagina quantos pacientes não seriam beneficiados com tantos órgãos que podem ser transplantados de um único indivíduo: um conjunto de peças de reposição. Imagina o conforto do " suicida" tendo alivio para a própria dor de existir e ainda ajudando a manter vivos por mais tempo aqueles que veneram a existência! Se eu tivesse o direito de ter uma utopia...". O colégio estadual onde Charles Figueiredo lecionava decretou luto. A morte foi lamentada por colegas e alunos da unidade de ensino. Ele também já ensinou inglês no colégio Modelo de Ipiaú. Os corpos foram velados na Igreja Batista Sete de Setembro, em Ipiaú. (Giro Ipiaú)