sexta-feira, 6 de julho de 2018

Opinião: Bélgica vence com propriedade e elimina o Brasil

O sonho do hexa acabou. A Seleção Brasileira perdeu o duelo contra a Bélgica em 45 minutos, e deu adeus à Copa do Mundo. Abaixo, 7 razões que explicam a queda brasileira.

Ter saído atrás do placar
O gol contra de Fernandinho foi o ápice para a queda brasileira, visto que, com o resultado adverso, o Brasil começou a se lançar para o ataque e acabou deixando muitos espaços na defesa. O resultado parcial era o que a Bélgica mais queria, esperar o Brasil e aproveitar os contra ataques para matar. Foi exatamente isso que aconteceu.

Desorganização defensiva
O que mais impressionou no Brasil foi uma enorme desorganização defensiva depois do gol. A equipe que tinha a melhor defesa da Copa e que se tornou na era Tite uma defesa praticamente intransponível, perdeu o meio campo e permitiu que a segunda bola sempre caísse nos pés de De Bruyne ou Hazard, craques da Bélgica.

Falta de inspiração de Coutinho e Neymar
Os jogadores mais talentosos da Seleção Brasileira estiveram apagados, e não brilharam exatamente quando o Brasil mais precisava. Neymar mais uma vez tentou forçar jogadas, simular pênaltis e esteve muito abaixo do que pode render. A partida de Coutinho também foi uma decepção, errando passes de meio metro, forçando chutes com a defesa adversária bem postada e de muita longa distância. Sem o brilho deles, o Brasil perde muito no improviso e na jogada individual. De positivo, apenas o lançamento na cabeça de Renato Augusto.


Nó tático de Martinez em Tite
O técnico Roberto Martinez sabia que precisava fazer alguma coisa para deter o Brasil, e a mudança de peças, as entradas de Chadli e Fellaini, povoou o meio campo sobremaneira que penetrar na defesa belga era quase impossível. Além disso, De Bruyne e Hazard estavam sempre caindo nas costas de Marcelo e, principalmente, Fagner. Com espaço e com a qualidade técnica que possuem, foram cirúrgicos.

Falta de controle emocional
A Seleção Brasileira não soube se comportar estando atrás do placar. A falta de controle emocional fez o Brasil errar mais de 50 passes, forçar cruzamentos, deixar a defesa demasiadamente exposta e sofrer o segundo gol que foi um balde de água fria.

Insistência de Tite em Gabriel Jesus
Pela segunda Copa seguida o camisa 9 do Brasil termina o Mundial de forma decepcionante. Gabriel Jesus até foi esforçado e cumpriu bem suas funções táticas em campo, mas não marcou um gol sequer. Centroavante que não faz gol e permanece como titular é algo enigmático. Tite poderia ter aproveitado melhor Roberto Firmino. Não estamos aqui dizendo que a eliminação se deve a isso, mas foi um erro cometido pelo ótimo técnico Tite, que deveria ter o contrato renovado pela CBF, porque é um excelente treinador, mas essa insistência, sem dúvida foi um erro.

Chances desperdiçadas
Não podemos dizer que o Brasil não lutou, que não tentou. O time acreditou até o final, e criou inúmeras situações de gol, mas pecou na conclusão. Firmino perdeu de perna esquerda, na pequena área, Paulinho duas vezes não conseguiu marcar, Thiago Silva no início de jogo não acertou o gol, Coutinho isolou dentro da área e Renato Augusto, sem marcação, na meia lua, jogou pra fora. O Preciosismo atrapalhou.

Como nós tínhamos avaliado a seleção belga, conforme matéria que você lê clicando aqui, é a melhor geração que já tiveram, muito talentosa e mais experiente que 2014. Mereceram a classificação. Souberam aproveitar as falhas brasileiras e seguem adiante. Valeu, Brasil! Isso é futebol! (Giro/Romário Henderson)