segunda-feira, 2 de julho de 2018

Opinião: Willian ressurge e Brasil passa pelo México

*Por Romário Henderson
A Seleção Brasileira não deu margem para zebra e despachou o México ao sair vencedor pelo placar de 2 a 0. Neymar e Firmino marcaram os gols. Depois de Espanha, Argentina e Portugal darem adeus, além da Alemanha que foi a grande decepção ao sair na primeira fase, o Brasil segue como principal favorito a levar o Mundial. Tite repetiu a formação, mais uma vez insistiu com jogadores como Paulinho, Willian e Gabriel Jesus que não vêm fazendo uma boa Copa. O México já havia surpreendido a Alemanha com um futebol veloz e talentoso, e diante do Brasil adiantaram a marcação, exploraram muito as pontas com Vela de um lado e Lozano de outro, chegaram com perigo em alguns momentos, mas como previsto, cederam muito espaço para o Brasil jogar.

Neymar e Willian desequilibram
Neymar demonstrou uma vez mais seu contínuo crescimento nessa Copa, na qual fez o seu melhor jogo. Como disse Tite, voltou a atuar em nível alto, jogando com confiança, ao seu estilo, partindo pra cima, driblando muito e, principalmente, sendo produtivo. Marcou um gol e deu assistência pro segundo. Neymar jogou com seriedade, com ousadia e alegria, desequilibrou o jogo. Outro atleta que foi fundamental na vitória foi Willian, que finalmente jogou pra valer, foi pra dentro dos adversários e executou muitas jogadas com precisão. Além de cumprir sua função tática sem a bola, quando a teve driblou, cruzou, criou situações de gol e finalizou. O que se espera dele é que mantenha esse nível elevado de atuação. (GIRO/Romário Henderson)