Ipiaú: Os fundadores da cidade


Elias Midelj e D. Vitória.
Os árabes (Marons, Midlejs e Atalas) e aos italianos (Grissis
e Miraglia) foram os primeiros a se fixarem na localidade que hoje constitui a
cidade de Ipiaú. Isso ocorreu por volta de 1916, conforme registro do historiador
Clemilton Andrade que prosseguindo em sua narrativa explica: -Chegaram depois
Domingos Castro, proveniente de Muritiba, e José Bento, ocupando as
extremidades  do povoado e
,estabelecendo-se com fazendas para  o
sul. Logo após a propriedade de Domingos Castro (no inicio da atual Avenida São
Salvador) estabeleceram-se os senhores José Gomes e José Brandão. Um pouco mais
adiante rio abaixo, estabeleceram-se os irmãos Hohlemwerger: João e Durval, de
origem suíça.
Para a parte de cima, logo após os árabes e italianos que
ocupavam a região onde hoje é o centro da cidade, vieram José Bento, Manoel
Pedro, Leandro, Epifânio Vieira e já 9 km rio de Contas acima instalara-se
Artur Duarte. Esses homens derrubaram matas, construíram casas, instalaram
estabelecimentos comerciais, promoveram o crescimento do povoado.
Devido ao uso de armas de fogo por parte dos seus moradores
que se envolviam em constantes brigas, o arraial foi batizado com a toponímica
de “Rapa Tição”. Uma outra versão indica que a origem dessa denominação decorre
da corruptela da palavra repartição. O local se tornara, por volta de 1920, um
Distrito de Paz de Camamu, com a denominação de Alfredo Martins. Os cartórios e
escrivaninha de paz constituíram uma repartição que passou a ser uma referência
da localidade. O povo da região ao se dirigir para o arraial dizia que ia à
rapatição. Fuá e Encruzilhada do Sul foram outros nomes dados ao embrião de
Ipiaú. Tem ainda outras versões que veremos adiante. (Giro/ José Américo Castro)