Itabuna: Presos ligam pra rádio e anunciam rebelião


Internos do Conjunto Penal de Itabuna entraram em
contato por celular com a Rádio Difusora Sul da Bahia, durante o programa O
Crime Não Compensa, apresentado por Oziel Aragão, e fizeram várias denúncias
contra o presídio e o tratamento que recebem lá. Sem se identificar, dois presos
– um deles interno há 4 anos e já sentenciado por prática de homicídio -,
revelaram que estão em uma cela com outros 14 internos e vivem momentos de
tensão constante. Questionado sobre a convivência no local um deles afirmou: “A
comida é estragada e estamos sendo espancados. Ainda ontem jogaram bomba de gás
aqui dentro”, relatou. E completou: “Quando tem agressão, eles ainda perguntam
se queremos a ‘borracha’ ou o Max (o cachorro)”. Sobre o tumulto que ocorreu
recentemente após a junção dos Raios A e B, outro afirmou: “Soltaram os cadeados
e deu no que deu, todo mundo caiu na faca e na bala. Um morreu e ainda tem uns
10 furados de bala e faca”. E avisou: “Está tudo calmo porque agente quer,
inclusive na rua, mas a situação pode ficar ainda mais tensa. Está todo mundo se
armando, quebrando parede e fazendo arma com ferro para se defender”.
Questionado sobre a origem do telefone celular no interior de uma cela no
Conjunto Penal de Itabuna, o interno foi enfático: “Para nós tudo tem jeito. Se
não tivéssemos um telefone aqui não estaríamos falando com você para denunciar a
situação”, finalizou.