Saiba como foi a chacina em Itagi e a morte do autor dos crimes


João Bispo da Silva, o “João Tatu”, autor de quatro homicídios na terça-feira (4), em Itagí, morreu em confronto com policiais na madrugada desta quinta-feira (6). O indivíduo teria assassinado, a golpes de faca e machado, os seus sogros, Joana Pereira de Carvalho, 60, e Eurides Alves Barbosa, 67, além do ex-patrão Hélio dos Santos Vieira, 58, e do capataz da fazenda de Hélio, Ernesto Barbosa dos Santos, 43, e feriu a bala Maria Barbosa Alves, sogra de Genivaldo Santana Alves, que morreu assassinado por João Tatu, com 11 facadas há cerca de um mês, no interior de Minas Gerais. Maria Barbosa levou um tiro no rosto e está internada no Hospital Geral Prado Valadares, em Jequié, mas não corre risco de morte, segundo informações da unidade hospitalar.

A chacina teve início na Fazenda Serra Curta, onde morava o casal assassinado e, em seguida, João Tatu foi até a fazenda onde trabalhava e ceifou a vida do ex-patrão e seu capataz. Após cometer os quatro assassinatos, o elemento se dirigiu a residência de Maria Barbosa e atirou no rosto da mulher. Por fim, João Tatu fugiu do local abordo de uma motocicleta Honda Fan, de cor preta e levou como refém uma adolescente de 13 anos, neta dos seus sogros, Joana e Eurides, encontrada por policiais em um matagal na manhã de quarta (5) e já devolvida aos familiares. A operação para captura do criminoso envolveu policiais da 9ª Coorpin de Jequié e de delegacias territoriais de Itagí, Jitaúna e Aiquara. Os agentes civis trabalharam com o apoio de equipes da Polícia Militar, através do 19º BPM de Jequié. O Departamento de Polícia Técnica de Jequié recebeu o corpo de João Tatu por volta das 7h40 desta quinta (6). A morte do indivíduo trouxe alívio para os moradores da pequena cidade de Itagí.

Corpos foram sepultados sob muita comoção

 

Foram sepultados às 11h desta quinta-feira (6), em Itagí, os corpos das quatro pessoas vítimas da chacina ocorrida na terça-feira (4). Familiares e amigos das vítimas se despediram e prestaram as últimas homenagens aos mortos da tragédia, no velório realizado no Ginásio de Esportes Ana Magalhães, onde foi celebrada pelo Padre da cidade a missa de corpo presente. O adeus foi marcado por revolta e comoção dos parentes e amigos, que buscam entendimento para tamanha maldade de João Bispo da Silva, o “João Tatu”, 43, autor da chacina. (Marcos Fhram/Fotos:Ari Jr.)