Ilhéus: fraude em licitações de transporte escolar pode ter desviado R$ 2 milhões


A Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão nesta quinta-feira (18) durante uma operação que investiga um esquema de fraude em licitações de transporte escolar que pode ter desviado R$ 2 milhões dos cofres públicos. Entre os locais onde a PF esteve está a prefeitura da cidade. A investigação também aponta que os acusados de participar do esquema deram dinheiro para a campanha de um ex-prefeito da cidade e de um ex-vereador que hoje é Secretário de Relações Institucionais do município. Batizada de Perlargós, a operação investiga o uso de recursos públicos conveniados para atender o Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolas nos anos de 2009 e 2010. Segundo a PF, a fraude consistia no uso de empresas “laranjas” com objetivo de participa de maneira fraudulenta das licitações – quem prestaria de fato o serviço seria a empresa ligada ao grupo criminoso. Duas campanhas políticas se beneficiaram com verbas dos suspeitos, diz a PF.
O ex-prefeito Newton Lima e o então vereador Jailson Nascimento teriam recebido doações de campanha de uma das empresas envolvidas, diz a PF. Os irmãos do ex-vereador faziam parte da folha de pagamento de uma das empresas, diz ainda a denúncia. “Ficou constatado que essas empresas realizaram doações de campanhas para o ex-gestor e para esse ex-vereador. Ou seja, está comprovado união de benefício entre as empresas e estes políticos”, disse hoje o delegado Mário Vinicius de Lima, chefe da PF em Ilhéus. O ex-vereador Jailson foi ouvido hoje na PF. Já o ex-prefeito Newton Lima não foi localizado em casa – segundo a TV Bahia, ele informou à PF que irá se apresentar para depor nesta sexta. (Correio)